Polícia – O advogado João Carlos Pinto de Araújo, de 44 anos e os comparsas Einar Valter Cruz Obando, de 45 anos; Rodrigo César Campelo Soares, de 29 anos, conhecido como “Loirinho”, foram presos, em flagrante, no início da noite de segunda-feira (2), pela equipe de investigação da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd).

A prisão do trio ocorreu por volta das 18h30, na rua Dona Mimi, no bairro Morro da Liberdade, na Zona Sul de Manaus.

No carro Corolla, em que eles estavam, a polícia encontrou um fuzil modelo AR-15, calibre 5.56, e 46 munições não deflagradas.

Com exceção do advogado João Carlos, que por questões prorrogativas de direitos de advocacia, apenas Einar e Rodrigo foram apresentados à imprensa no fim da manhã desta terça-feira (3), no prédio da Derfd, no bairro Alvorada, na Zona Centro-Oeste da capital.

De acordo com o delegado Demétrius Queiroz, adjunto da Derfd, o trio foi preso após uma denúncia anônima informando que os suspeitos arquitetavam roubar um banco em Manaus.

“Recebemos uma informação anônima de que os homens estavam transportando da cidade de Manacapuru para Manaus armamentos, de grosso calibre, para serem utilizados em um roubo a banco. A equipe de investigação foi ao local indicado pela denúncia e fez o monitoramento dos denunciados. No momento oportuno, o veículo foi interceptado. Durante a revista, foi encontrado escondido no para-choque traseiro um fuzil em um saco plástico”, comentou o delegado.

Reincidentes 

O delegado disse ainda, que o advogado já tinha sido preso pela Polícia Federal (PF), em Tabatinga pelo crime de lavagem de dinheiro.

Já Einar, em depoimento, afirmou ter sido preso por homicídio, mas o caso prescreveu no inquérito policial.

Rodrigo César não possui antecedentes criminais. Durante a coletiva de imprensa, Rodrigo negou qualquer envolvimento e afirmou que conhecia apenas Einar, por ser cliente do lava-jato em que é proprietário.

Veja vídeo