Crianças relataram a seus pais terem sido assediadas com beijinhos e gestos obscenos por um homem conhecido como Lucio de Siqueira Cavalcanti Neto, 49 anos.

Amazonas – Um caso de Importunação Sexual contra menores, revoltou os moradores da Comunidade Marcos Freire, localizada no KM 13 da AM 240 em Presidente Figueiredo. Duas crianças que brincavam nas proximidades de suas casas, na tarde desta quinta-feira , 15/10, relataram a seus pais terem sido assediadas com beijinhos e gestos obscenos por um homem conhecido como Lucio de Siqueira Cavalcanti Neto, 49 anos. que possui um terreno na comunidade, onde costuma passar o fim de semana e feriados.

Após tomar conhecimento do relato da filha, o pai de uma das crianças foi atrás do indivíduo que se escondeu no seu sítio, foi então que o genitor resolveu ir procurar a polícia, encontrando uma guarnição da Guarda Municipal, em ronda na comunidade. Diante das acusações, a equipe da guarda sob o comando de M. Vieira, saiu no encalço do acusado, encontrando-o abastecendo o carro para fugir em direção à capital, quando foi então detido e encaminhado ao 37 DIP. A competência e rapidez com que a Guarda Municipal agiu, foi crucial para evitar a fuga do acusado.

Contra Lúcio de Siqueira, já existem registros de dois outros casos na mesma comunidade, com relatos sempre de assédio contra crianças, tendo ele inclusive, chegado a mostrar seus órgãos sexuais às vítimas. Os moradores da comunidade já estavam atento as ações criminosas do acusado e as próprias crianças avisadas para evitaram qualquer tipo de aproximação com ele. Na delegacia, o acusado ainda quis se desculpar com os pais, mas foi ignorado pelos mesmos que buscam justiça para o caso.

Segundo relatos dos pais das vítimas, existem muitos outros casos ocorridos na localidade e que agora virão à tona. O funcionário Público do TCE, tem contra ele um registro de fevereiro de 2017, de Importunação Ofensiva ao Pudor, feito por uma estagiária, que o acusa ter sofrido o infortúnio nas em seu local de trabalho nas próprias dependências do TCE, quando Lúcio expôs seus órgãos sexuais diante dela e ficou fazendo gestos de masturbação.

A movimentação era intensa na porta do Distrito Policial, com pais revoltados contra as ações de Lúcio e esperam que desta vez, ele permaneça preso e responda por seus atos. O Conselho Tutelar acionou o CRAS estando portanto as crianças recebendo apoio psicológico e as famílias amparadas. Lúcio foi enquadrado pelos crimes de Aliciar, Assediar, Instigar ou Constranger Por Qualquer Meio Criança Praticar Ato Libidinoso, estando portanto à disposição da justiça.