Dezenas de pessoas morreram pisoteadas durante um tumulto no funeral do general iraniano Qasem Soleimani nesta terça-feira, 7. O incidente aconteceu em Kerman, no sudeste do Irã, cidade natal do militar morto na semana passada em um ataque aéreo americano em Bagdá.

A confusão deixou pelo menos 40 pessoas mortas e 230 feridas, segundo informou o diretor do Serviço Nacional de Urgências iraniano, Pir Hossein Koulivand, à uma televisão estatal no balanço mais recente sobre a tragédia. Kolivand explicou ainda que o incidente foi causado por uma aglomeração.

O cortejo com o corpo de Soleimani levou centenas de milhares de pessoas às ruas da capital Teera e de outras cidades no Irã. O funeral contou com a presença do líder supremo do Irã, Ali Khamenei. O aiatolá e os principais comandantes militares do país prometeram retaliação contra os Estados Unidos pela morte do general.

Soleimani será enterrado em um cemitério de Kerman como um “mártir” do Irã.

Tensão

O Parlamento iraniano aprovou nesta terça uma moção que classifica as forças armadas americanas e o Pentágono como “terroristas”, abrindo caminho para ações de retaliação.

(Com agências AFP, Reuters e EFE)