Mundo – O Itamaraty confirmou que a brasileira Simone Barreto Silva, de 44 anos, é uma das três vítimas do atentado terrorista na na basílica Notre-Dame de Assunção, em Nice, na França, nesta quinta-feira 29. Natural de Salvador, Simone morava na França há 30 anos e deixa três filhos. 

Segundo informações divulgadas pela TV France Info, Simone foi esfaqueada e se refugiou num restaurante em frente à catedral, onde ainda permaneceu por uma hora.

“Ela atravessou a rua ensanguentada, e meu irmão e um dos nossos funcionários a ajudamos, a colocaram no interior do restaurante, sem entender nada, e ela dizia que havia um homem armado dentro da igreja”, disse Brahim Jelloule, proprietário do estabelecimento.

O ato aconteceu por volta das 9h no horário local (5h de Brasília) no centro de Nice. O ministro do Interior, Gérald Darmanin, anunciou uma “reunião de crise” após o ataque. Uma das vítimas estava rezando dentro da basílica e foi decapitada.

O presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota de pesar. “Em nome de toda a nação brasileira, apresenta suas profundas condolências aos familiares e amigos da cidadã assassinada em Nice, bem como aos das demais vítimas, e estende sua solidariedade ao povo e Governo franceses”.

Segundo a polícia, o principal suspeito foi baleado pela polícia e levado para o hospital, onde está sob custódia. De acordo com o prefeito da cidade, Christian Estrosi, o homem gritou “Allahu Akbar” (Deus é grande) diversas vezes antes de ser preso.

O incidente ocorre menos de duas semanas após a decapitação do professor Samuel Paty por um extremista islâmico, que gerou comoção no país. O tutor de História e Geografia lecionou uma aula sobre liberdade de expressão em 16 de outubro e mostrou charges do profeta islâmico Maomé para os alunos, alguns deles muçulmanos. Ao sair da escola, foi atacado. A polícia perseguiu o suspeito e o matou numa cidade vizinha a Paris.

Com informações da veja