Uma mulher mantida encarcerada por 10 anos foi liberada de um porão em Gizzeria, no sul da Itália, onde foi torturada, estuprada e forçada a dar à luz dois de seus filhos.

O responsável pelos crimes foi detido e identificado como Aloisio Francesco Rosario Giordano, de 52 anos, que já havia cumprido pena por sequestro, segundo informações da jornal Metro UK. A primeira vítima de Giordano também havia ficado grávida duas vezes. No entanto, acabou abortando ambos os bebês, o primeiro após levar um chute no estômago e o segundo após ser sodomizada com um bisturi e colher. Quando ela morreu, o homem chamou uma enfermeira para examiná-la. Contudo, esta acabou sendo trancada dentro de um “calabouço” no quintal da casa, onde permaneceu por 10 anos.

Aloisio Giordano. (Foto: Reprodução)

Seu cárcere estava localizado dentro de um galpão, onde dormia com os dois filhos gerados junto com o sequestrador – um menino de nove anos e uma menina de três. A vítima foi encontrada acorrentada a uma barra de metal ao lado do que parecia ser sua cama, feita de papelão. O local, que estava infestado de ratos, não tinha água corrente, eletricidade ou banheiro – apenas um balde que era mantido embaixo de uma cadeira.

A mulher foi espancada e estuprada repetidamente, enquanto as crianças eram forçadas a assistir os abusos. Se não o fizessem, também eram agredidas. Alguns dos ferimentos eram tão profundos que Giordano disse ter sido obrigado a suturá-los com fio de pesca. A polícia foi alertada para a situação quando, em uma blitz, parou o carro do sequestrador. Na ocasião, ele levava uma das crianças no banco de trás. Os oficiais levantaram suspeitas após verem a situação do menino, desgrenhado e desnutrido.

Com informações Ipu Online