Uma influenciadora digital chinesa morreu na noite desta quarta-feira, dia 30 de setembro, cerca de duas semanas após sofrer queimaduras em 90% do corpo. O ex-marido dela foi apontado como o autor do crime, cometido durante uma transmissão em vídeo. Conhecida nas redes como Lamu, a vítima de 30 anos estava trabalhando em casa na região de Aba, na província de Sichuan, no Sudoeste do país.

Os telespectadores relataram que a tela ficou preta de repente, seguido por sons gritos.

De acordo com a polícia, o autor não teria aceitado o divórcio. Ao invadir a residência da ex-mulher, no último dia 14, a atacou com gasolina, incendiando-a em seguida. Lamu foi socorrida a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O suspeito, identificado pelo sobrenome Tang, foi detido por homicídio doloso no mesmo dia do ataque. O casal tem dois filhos pequenos.

O jornal “Beijing Youth Daily” informou que a irmã da vítima, Zhuoma, fez uma postagem no perfil de Lamu, no dia 16, pedindo ajuda aos seguidores dela para arcar com o custo do tratamento médico. Ela disse ter usado 60% das doações para a conta hospitalar e que o restante será destinado para causas sociais. No total, foram arrecadados R$ 830 mil.

Lamu tinha um perfil no TikTok com 782 mil seguidores e que somava 6,3 milhões de curtidas em suas publicações. Seu conteúdo era formado basicamente por vlogs de sua vida ou dublagens. Sua última postagem na rede social havia sido feita no mesmo dia do ataque. No vídeo, ela cantava uma música tradicional tibetana.

(Extra)