Mundo – De acordo com o jornal The New York Times, cerca de 1.072 refugiados foram conduzidos em botes salva-vidas infláveis e abandonados no meio do mar pelas autoridades local. 

“Deixei a Síria com medo de um bombardeio, mas quando isso aconteceu comigo, desejei ter morrido sob uma bomba”, disse Najma al-Khatib, uma das vítimas, que por sorte conseguiu ajuda para sair dessa situação. 

Najma, relatou que no dia 26 de julho, ela e mais 22 pessoas, incluindo bebês de colo, foram conduzidos por guardas mascarados e posteriormente, jogados no oceano.

A Grécia nega todas as acusações.