A Food & Drug Administration (FDA) está trabalhando com parceiros do governo dos Estados Unidos (EUA), incluindo o Centros de Prevenção de Doenças Infecciosas (CDC) e parceiros internacionais para lidar com a pandemia do novo corona vírus. Ao que tudo indica, o FDA, agência americana de regulamentação de remédios, consentiu o uso da hidroxicloroquina para os pacientes infectados com doença, que até o momento não contém vacinas ou remédios que combatem diretamente no veto da contaminação.

A decisão partiu quando o diretor executivo de Novartis, Vas Narasimhan, obteve o resultado das pesquisas comprovadas que a hidroxicloroquina extermina o vírus.  “Estudos pré-clínicos em animais, bem como os primeiros dados de estudos clínicos, mostram que a hidroxicloroquina mata o coronavírus”, disse Vas Narasimhan. Por resultados positivos ao combate da Covid-19, a empresa vai doar 130 milhões de doses, com um custo de US$ 4,65 por mês.

Vas Narasimhan designa que uma “possível” cura está próxima de ser consumada. O que trás esperanças a toda humanidade mundial diante todas as circunstâncias vividas desde a primeira contaminação da Covid-19. Vale lembrar que o Brasil foi o primeiro país a sugerir que a hidroxicloroquina continha a cura. Até o presidente Jair Messias Bolsonaro mandou o Exército e a Fio Cruz produzir em larga escala a Cloroquina como a cura para esse vírus terrível, porém foi interrompido.

“A Novartis trabalhará com as partes interessadas, incluindo a Organização Mundial de Saúde, para determinar a melhor distribuição do medicamento para garantir amplo acesso aos pacientes que mais precisam desse medicamento em todo o mundo”, afirmou a empresa em 20 de março.