A família de Rosa Smith, uma garota com paralisia cerebral, denunciou à justiça os abusos que um dos professores cometia contra ela. Segundo acusações, funcionários da instituição passaram anos, derramando café quente na jovem, trancando-a por horas no banheiro e amarrando a boca dela com fita adesiva. Rosa tem comprometimento cognitivo, incapacidade comunicativa e deficiências físicas, e sofreu danos físicos, emocionais e psicológicos com os acontecimentos.

A denúncia foi feita por uma professora que enviou imagem dos abusos para a mãe da vítima. De acordo com as investigações, as agressões acontecem desde 2004. O caso aconteceu em uma escola da cidade de Michigan, nos EUA.