Cantora Sinead O´Connor escancara intimidade em vídeo sobre depressão e seu estado suicida

Quem está na faixa dos 40, 40 e poucos anos a conhece como uma das artistas de maior sucesso desde sempre. Era/é a cantora irlandesa, que em 1990 estourou estupidamente com versão de “Nothin´Compares to You”, do Prince. Você ligava a TV e só dava ela. Aos poucos foi sumindo da mídia, continuou em atividade mas bem mais low profile. Há uns anos ela desapareceu e foi revelada sua doença: depressão profunda da qual não conseguia se livrar. Foi encontrada, mas temia-se muito que tivesse cometido suicídio. Nesta semana, ela soltou um vídeo no Facebook escancarando a intimidade, falando sobre a doença, sobre estar morando em um motel nos Estados Unidos e de todo seu desespero no transtorno mental da depressão.

Algumas das frases no vídeo em inglês são:  “Estou totalmente sozinha, e não há absolutamente ninguém na minha vida exceto meu médico, meu psiquiatra, o homem mais doce da Terra, que diz que sou sua heroína, e isso é tudo o que me mantém viva no momento … e isso é um pouco patético.” “Eu agora estou morando em um motel num fim de mundo em New Jersey”, acrescentou. “Quero que todos saibam como é, é por isso que estou fazendo esse vídeo.” “Doença mental é como droga, não importa nada quem você seja, e o que é pior é o estigma.” “E de repente, todas as pessoas que deveriam amar você e cuidar de você estão tratando você como merda.” Tivemos os casos recentes de Chester Bennigton, do Linkin Park, do Chris Cornell, do Soundgarden. É preciso mais para explicitar que passou da hora de falarmos sobre depressão?

Assista ao vídeo:

Com informações do R7

ver mais notícias