Assassino que abusou da própria enteada deixa carta com outro crime antes da pena de morte

Por Henrique em 22 de novembro de 2021 às 12:43 | Atualizado 22 de novembro de 2021 às 12:44 Assassino que abusou da própria enteada deixa carta com outro crime antes ser condenado a tomar injeção letal

EUA / Mississippi – Um monstro que atirou na ex-esposa e agrediu sexualmente sua enteada na frente da mãe foi executado. David Cox, 50, foi morto por injeção letal na quarta-feira pelo assassinato de Kim Cox, que sofreu e sangrou até a morte por horas após ser baleada no braço e no estômago.

A Sra. Cox ainda estava viva quando seu marido viciado em drogas agrediu sexualmente sua filha de 12 anos e torturou sua família, chegando a ligar para seu pai e passar o telefone para ela.

Dois de seus três filhos a viram morrer durante uma situação de refém de oito horas que terminou quando a polícia finalmente invadiu uma casa na cidade americana de Sherman, Mississippi.

Cox, que aparentemente temia que sua morte fosse dolorosa, foi declarado morto às 18h12, horário local, na quarta-feira, depois que um coquetel letal de três drogas foi administrado.

Lindsey Kirk mostra fotos da infância dela e de sua falecida mãe Kim Kirk Cox. Ela tinha 12 anos quando seu padrasto, David Neal Cox, aterrorizou sua família, a agrediu sexualmente e matou sua mãe em maio de 2010 em uma casa em Sherman, Mississippi. David Neal Cox foi condenado à morte , tornando-se o primeiro presidiário executado no Mississippi após nove anos.

 

Após a execução, foi revelado que o homem deixou uma carta misteriosa, possivelmente relacionada ao desaparecimento de Felicia Cox, sua cunhada.

Carta misteriosa pode ter relação com caso não resolvido

Para Amber Miskelly, filha de Felicia, David pode ter alguma relação com o desaparecimento de sua mãe em 2007.

Após a execução do condenado, Burl Cain, comissário de correções, declarou que o homem deixou uma carta póstuma que seria colocada no correio após sua morte.

 

Deixe seu comentário