China – A embaixada da China no Cazaquistão alertou, na quinta-feira (9), para uma “pneumonia desconhecida” mais mortal do que o coronavírus no país da Ásia Central, após registrarem um aumento nos casos de pneumonia no primeiro semestre deste ano, sendo que 35% deles apenas no mês de junho.

“A taxa de mortalidade desta doença é muito maior do que o novo coronavírus. Os departamentos de saúde do país estão realizando pesquisas comparativas sobre o vírus da pneumonia, mas ainda não há definição ”, disse a embaixada em um aviso aos cidadãos chineses que vivem no Cazaquistão, segundo o jornal South China Morning Post.

Segundo a embaixada da China, o Cazaquistão contabilizou 1.772 mortes por pneumonia entre janeiro e junho, sendo que 628 ocorreram no mês de junho, incluindo alguns chineses. 

Nesta sexta-feira (10), o ministro da Saúde do Cazaquistão, Alexei Tsoi, disse que a informação não passava de um mal entendido da contagem oficial. Ele afirmou que esse número inclui todos os tipos de pneumonias já conhecidas, incluindo as causadas por vírus e bactérias e que, portanto, a informação passada pela embaixada chinesa estava incorreta. 

Ele não especificou, no entanto, quantos dos casos tratados como pneumonia podem na verdade ser de Covid-19. Não entrou em detalhes também sobre a chance ou não uma nova doença em circulação no país.

Além disso, não ficou claro por que a embaixada chinesa descreveu a doença como “desconhecida” ou que informações possuía sobre a pneumonia.

O Cazaquistão anunciou um estado de emergência em 16 de março para combater a propagação do Covid-19. A flexibilização da medidas ocorreu em  11 de maio com uma queda da curva de contágio do coronavírus. Em junho, porém, as restrições e medidas de quarentena voltaram em algumas áreas após o aumento nos casos de pneumonia.

Para a OMS (Organização Mundial da Saúde), a Covid-19 pode explicar o aumento nos casos de pneumonia no Cazaquistão. A organização afirmou ainda que só tem conhecimento apenas da circulação do novo coronavírus.