Mundo – Uma notícia vem deixando muita gente preocupada, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP inicia uma investigação para apurar 40 possíveis casos de reinfecção pelo novo coronavírus. Destes, 28 são investigados em São Paulo e 12 em Ribeirão Preto, no interior de SP, onde um caso foi confirmado.

A paciente que teve o caso confirmado é uma técnica de enfermagem de 24 anUSPos. Ela teria contraído novamente o vírus no intervalo de 50 dias: o primeiro diagnóstico positivo ocorreu em 13 de maio e o segundo, em 2 de julho.

A reinfecção pelo coronavírus é apenas uma das possibilidades que podem explicar os sintomas e testes de diagnósticos positivos em dois períodos diferentes dos pacientes que estão sendo monitorados, de acordo com o HC de São Paulo.

Entretanto, também é possível que eles tenham sido infectados por outro vírus, que causaria confusão, porque haveria ainda fragmentos inativos do coronavírus que ficaram no corpo da pessoa após a primeira infecção ou pela longa permanência do vírus no corpo, com período de inatividade e posterior reativação.

Para confirmar um caso de reinfecção, é preciso sequenciar o material genético do vírus e verificar se existem diferenças entre o que foi encontrado na primeira e na segunda infecção.

Mas nesta semana, a Holanda registrou a primeira morte causada pela reinfecção pelo coronavírus no mundo.