Brasil – Ellen Priscila Ferreira da Silva, de 24 anos, que estava grávida de quatro meses, foi amarrada e queimada viva dentro do próprio carro. O caso ocorreu na última terça-feira (03), em São Paulo.

A motivação do cruel assassinato de Ellen, teria sido porque a mesma havia se recusado a abortar, e o pai da criança, que já é casado com outra, tacou fogo na amante grávida do seu próprio filho.

Com a vítima, também estava um familiar que foi morto da mesma forma.

A Polícia aponta que o crime foi premeditado. Até o momento, três homens foram presos, um de 19 anos, um de 35 e outro de 38 anos. Uma mulher de 36 anos também foi presa.

A mulher e o jovem de 19 anos confessaram o crime.

Ainda de acordo com a Polícia, um dos assassinos ainda esteve com a mãe de Ellen para dar os pêsames.

“Um dos suspeitos até esteve com a mãe da vítima para a consolar depois de a morte ter sido confirmada. Outro aspeto é que Ellen recusou fazer um aborto depois da conceção num caso extraconjugal”, relatou o agente policial.