Manaus- Na reta final da campanha eleitoral, o candidato à Prefeitura de Manaus, Amazonino Mendes (Pode), que tem como vice na chapa o deputado estadual Wilker Barreto, induziu o eleitor a acreditar que ele ‘entregou’ o atual prédio aonde funciona a Fundação Cecon (Centro de Oncologia do Amazonas). Em um dos vídeos exibidos durante a propaganda eleitoral na TV, ele mostra imagens de unidades de saúde que teriam sido construídas por ele.

Nas imagens aéreas, provavelmente feitas com drones, ele usa um grande pronto-socorro da capital e exibe imagens da FCecon, enquanto afirma que “Amazonino entrega”. Ocorre que a edificação de nove andares, que se tornou unidade hospitalar, foi inaugurada em 2006, pelo então governador Eduardo Braga, hoje senador da República pelo MDB.

As informações constam na placa de inauguração do hospital, afixada logo na entrada do prédio, conforme ocorre com praticamente toda obra pública inaugurada no Brasil. À época, o vice-governador era Omar Aziz (PSD), que também ocupa atualmente uma cadeira no Senado Federal pelo Amazonas.

Como a saúde e, em especial, o câncer, oferece forte apelo social e emocional, a unidade de tratamento tem sido utilizada, repetidamente, por candidatos a cargos eletivos no Amazonas, durante as campanhas eleitorais. O que não é dito, no entanto, é que a FCecon foi reformulada e se tornou um dos maiores hospitais de referência em cancerologia do País, através de recursos de emenda parlamentar, que possibilitaram a construção do atual prédio. Ou seja: houve apenas uma contrapartida do Executivo, mas o maior volume de recursos não saiu dos cofres do Estado.

Nos últimos dias de campanha à Prefeitura de Manaus, a equipe de Amazonino Mendes deixou de reforçar as propostas do candidato para melhorar a vida da população da capital, para atacar quem ocupa ou já ocupou o cargo de chefe do Executivo Estadual, o que nada tem a ver com a função que ele almeja atualmente.

Primeiro, foi Jose Melo (sem partido), ex-governador do Amazonas, cassado pela Justiça Eleitoral por compra de votos e cujo governo foi marcado por escândalos de corrupção na saúde. Amazonino mantinha uma aliança com o ex-governador, mas, com o desgaste político de Melo, Mendes decidiu trabalhar para desvincular sua imagem da dele.

Depois, a equipe decidiu explorar a imagem do atual governador, Wilson Lima (PSC), com acusações sem comprovação, já que Lima não é réu em processo algum na Justiça. As eleições municipais ocorrem no próximo domingo, dia 15.