Manaus – Contrariando as ordens do Ministério da saúde e dos órgãos Internacionais de Segurança para evitar aumento de infecção com aglomeração, o promotor de justiça que deveria seguir as leis e as regras, acaba de contrariar toda e a qualquer ética da sua profissão. Sem pensar na contaminação em massa do Corona vírus o promotor  formalizou pedido para derrubar o decreto do governador para liberar cultos nas Igrejas. 

Ainda não satisfeito compra briga com o prefeito de Coari e com o governador Wilson Lima, que por decreto mandou fechar igrejas e locais de grandes aglomerações para evitar contagio e proliferação do vírus que está matando pessoas por todo o mundo.

Veja o documento do promotor impondo mudança no decreto. 

Recomendar ao Exmo. Sr. Wilson Miranda Lima, Governador do Estado do Amazonas:

a) revogue o art.  3° do Decreto n° 42.099/2020, que determinou a suspensão do funcionamento de todas as igrejas , templos religiosos, lojas maçônicas  e estabelecimentos similares;

b) determina a paralisação de qualquer medida coercitiva tendente a efetivar a ordem de suspensão de funcionamento de todas as igrejas, templos religiosos, lojas maçônicas e estabelecimentos singulares;