Amazonas – A Comissão Parlamentar de Inquérito da Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas recomendou nesta sexta-feira (3), ao governo do Estado, a exoneração das secretárias de Saúde, Simone Papaiz, e de Comunicação, Daniela Assayag.

O pedido de exoneração de Simone Papaiz é motivado pela tentativa dela em acobertar a compra de respiradores hospitalares superfaturados pela Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam).

No caso de Daniela Assayg, a demissão é motivada pelo conflito de interesses envolvendo a secretária, cujo marido, Luiz Carlos Avelino, é sócio de empresas prestadoras de produtos de serviços ao governo do Estado.

Daniela é suspeita de participar de reuniões sigilosas da Susam e repassar informações confidenciais ao marido, com objetivo de tirar vantagem nos contratos firmados pela Susam.

A recomendação pela demissão das secretárias foi encaminhada hoje à tarde ao gabinete do governador Wilson Lima.

O presidente da CPI, deputado Delegado Péricles, afirmou que o administrador público interessado na transparência e na moralidade já teria afastado qualquer servidor com suspeita de irregularidade. “Se o governo não acatar o pedido de exoneração, confirmará a existência de conluio com os servidores públicos envolvidos na investigação”, afirmou Péricles.

O relator da CPI, deputado Fausto Jr, foi adiante e pediu a demissão de todos funcionários públicos envolvidos no esquema da compra de respiradores superfaturados. “A CPI não tem mais dúvidas sobre a participação desses servidores no caso dos respiradores”, destacou Fausto.

“O governo deve exonerar imediatamente os funcionários envolvidos, principalmente aqueles que foram presos pela Polícia Federal”, acrescentou.