Amazonas – O governador Wilson Lima, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e a comitiva composta por ministros e chefes de missões diplomáticas visitaram, na última quinta-feira (05), a fazenda Santa Rosa, em Iranduba. A propriedade, que surgiu como assentamento, é referência por ter se desenvolvido a partir da regularização fundiária, destacando-se na agropecuária e no turismo rural.

A comitiva é formada pelos chefes de missões diplomáticas da África do Sul, Espanha, Peru, Colômbia, Canadá, Suécia, Alemanha, União Europeia, Reino Unido, França, Portugal e da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA). Também participam os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

O grupo conheceu os plantios de laranja, tanques de piscicultura, criação de abelhas com e sem ferrão, e acompanharam a retirada de tambaquis de um viveiro. O governador Wilson Lima destacou, durante a visita, que a propriedade, que surgiu de um assentamento, é um modelo que demonstra a importância da regularização fundiária no processo de desenvolvimento sustentável e de preservação do meio ambiente.

“Essa fazenda é exemplo de que é possível a gente encontrar esse caminho do equilíbrio entre preservação e desenvolvimento. Aqui nós temos um exemplo de culturas consorciadas, de plantação de citrus, mamão, pitaia, a criação de animais, a piscicultura. Então a gente espera que, com essa visita, a comitiva possa ter uma visão diferente da Amazônia. Proteger é importante, preservar é importante, mas acima de tudo é necessário que nosso povo tenha condição de produzir para garantir o sustento de suas famílias e disso não abrimos mão”, afirmou Wilson Lima.

O proprietário da fazenda, Edney Ricardo, contou à comitiva os desafios de ser um produtor rural e disse que é possível manter uma produção expressiva respeitando o meio ambiente. “A fazenda Santa Rosa é resultado de um trabalho em família. Produzimos anualmente mais de 3 milhões de unidades de citrus respeitando as normas ambientais e, mesmo sendo uma propriedade de pequeno porte, conseguimos ter uma produção sustentável”, destacou.

 

Atividade legal – O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, reforçou a necessidade da regularização fundiária para garantir o acesso a políticas públicas e para dar condições para uma produção sustentável.

“Com o título da terra, o proprietário tem acesso ao financiamento, à assistência técnica rural e, consequentemente, ele passa a produzir, o que gera emprego e renda, deixando de derrubar a floresta. Então, esse é o ponto focal. O empreendimento da Fazenda Santa Rosa é algo que salta aos olhos e que demonstra muito claramente a pertinência da gente prosseguir com esse processo”, pontuou Mourão.

Para o governador Wilson Lima, ao contrário dos que apontam que a regularização pode aumentar o desmatamento, a medida é essencial para o desenvolvimento sustentável. “Com a regularização fundiária nós passamos a ter controle e passamos a dar mérito para aquele que está dentro da legalidade e impedir que a atividade ilegal continue prevalecendo na Amazônia”, completou.

Plantio – Durante a visita à Fazenda Santa Rosa, as autoridades fizeram o plantio de árvores, prática comum no local. Uma muda de sumaúma foi plantada pelo vice-presidente Hamilton Mourão junto com o governador Wilson Lima, que depois plantou ainda um exemplar da espécie pau-brasil.