Brasil – O governador do Pará, Helder Barbalho, anunciou no último sábado (17) que solicitou à Polícia Civil a abertura de um inquérito para apurar a morte de um bebê durante um parto realizado pela manhã na Santa Casa de Misericórdia, em Belém. Segundo a família da criança, o bebê teve a cabeça arrancada durante o procedimento.

Segundo a família da criança, a mãe da do bebê, ela tinha sido encaminhada para fazer o parto no hospital, referência em atendimento materno-infantil no estado. De acordo com a Santa Casa, a gestante foi atendida em trabalho de parto adiantado. Devido às condições de sua chegada, a paciente evoluiu rapidamente para parto vaginal.

Os médicos afirmam que o feto possuía várias malformações, o que ocasionou uma complicação obstétrica pouco frequente chamada distócia de ombro. Nesses casos, o ombro do bebê fica preso dentro da mãe.

A Santa Casa afirma que todas as manobras previstas na literatura científica foram realizadas com o intuito de despender o ombro e assim liberar o restante do corpo do bebê. No entanto, a Santa Casa afirma que “houve complicações na extração fetal”.