A Fundação Hospital Adriano Jorge, localizada no bairro Cachoeirinha, zona sul de Manaus, tem se tornado referência nos cuidados quanto ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). De olho na segurança de funcionários e pacientes, a unidade de saúde administrada pelo Governo do Amazonas, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), conta hoje com uma média mensal de 243 mil materiais de EPIs disponibilizados para um atendimento seguro em todas as clínicas, ambulatórios e na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

Para poder atender a demanda e garantir que todas as normas e protocolos de segurança contra a Covid-19 sejam seguidos, é necessário um cuidado que vai desde o armazenamento até a administração do quantitativo deste material. De acordo com Zilar Batista, gerente de logística da Fundação Hospital Adriano Jorge, atualmente é feito um consumo mensal médio de 100 mil luvas de látex, 70 mil máscaras, 30 mil gorros descartáveis, 20 mil propés, 16 mil aventais, 500 protetores faciais e 300 viseiras.

“(Estamos) Dentro dos conformes, todas as orientações são passadas pra gente e nós aqui obedecemos, tanto no quantitativo como na prevenção”, diz Zilar.

Segundo o enfermeiro Carlos Soares, o sentimento é de trabalhar em segurança mesmo durante uma pandemia. Plantonista da Unidade de Terapia Intensiva da Fundação, ele enfatiza o controle adequado do material que é distribuído para os técnicos, enfermeiros, fisioterapeutas e médicos da UTI e ressalta que boa parte da sensação de proteção vem graças aos cuidados tomados por todos.

“Aqui, a gente tem assistido os pacientes realmente com segurança, mesmo porque não temos mais casos de Covid-19 aqui, na unidade, mas mesmo assim, a gente mantém as cautelas, as restrições e as medidas preventivas que é o uso do EPI, principalmente tanto para não transmitir ao paciente nenhum tipo de infecção como também para o profissional se prevenir de qualquer tipo de contaminação”, ressalta o enfermeiro.

Com informações da assessoria de Imprensa