Manaus – Contrariando um antigo padrão de beleza estabelecido pela mídia que projetava o ideal de mulher perfeita apenas como bonecas Barbies, a inclusão de diferentes estereótipos de beleza tem transformado o mundo da moda em um lugar femininamente mais completo. Toda mulher merece celebrar sua individualidade e originalidade exatamente da forma que seu corpo é.

E é sob a certeza de sua beleza absoluta, que a roraimense Ana Victória Lago, de 21 anos, decidiu construir seu império de amor próprio por meio das passarelas e dos estúdios de fotografia.

A modelo agenciada pela agência IN Model tem microcefalia, mas nem mesmo sua condição clínica a impediu de começar a estampar as capas de revistas e cruzar as passarelas do mundo com seu belíssimo desfilar.

A corrida de Ana Victória no mundo fashion começou há cerca de 4 anos, desde que foi descoberta por um agente de moda enquanto participava de um projeto de moda em Manaus, capital do Amazonas (AM), onde a new face mora hoje com a família.

Entre os fãs e admiradores que a jovem já conquista após os primeiros anos de trabalhos no mundo da moda, sua maior incentivadora é sua mãe, a e candidata a vereadora de Manaus, Viviane Lima (PSB).

“Quando ela nasceu, os médicos disseram que ela não iria andar e nem falar. Afirmaram que os comprometimentos eram severos e irreversíveis. Eu desacreditei. Hoje, 20 anos depois, ela tem nos surpreendido cada vez mais com sua força de conquistar seus próprios sonhos”, destaca Viviane, mãe de Ana, que é considerada a primeira modelo com microcefalia do Brasil e do mundo.

Maturidade

Ainda de acordo com a mãe da fashionista, mesmo com muita vontade de fazer acontecer, todo o caminho da carreira da filha foi percorrido com muita cautela. Como qualquer outra aspirante a modelo, Ana Victória também teve que aprender a lidar com os nãos recebidos ao longo da estrada.

“A gente sabe que nesse mundo ainda existem muitas pessoas cruéis. E foi o que aconteceu, assinamos um contrato de um ano com a agência e nesse período, ela encaixava a Ana nos testes para algumas empresas e recebia respostas do tipo ‘que não queriam esse tipo de pessoa no seu casting”, lembra Viviane Lima.

A mãe relatou ainda que sempre avalia bem o propósito dos trabalhos que as empresas oferecem e que foi aperfeiçoando e amadurecendo a filha no mundo da moda para transformá-la em uma verdadeira profissional.

“Eu entendi que era isso que ela queria, então lutei para que ela tivesse a sua chance nessa profissão”, finaliza a mãe da modelo.

Consciência inclusiva

Hoje, Viviane busca inserir a filha em trabalhos inclusivos, com participação de eventos que geram na sociedade conscientização e a valorização das pessoas com deficiência.

“Por conta da microcefalia, ela tem um déficit de fala e de entendimento, mas acredito muito que num período curto de tempo, a empresas consigam se adaptar ao perfil da Ana Victória e ela o deles”, pontua.

A construção de uma autoestima saudável é fator fundamental para gerar confiança necessária e consequentemente atingir o pleno potencial além também de nossas melhores versões. O mundo da moda também é um canal de comunicação, e caminha cada vez mais pelo universo feminino empoderado com o objetivo de construir, quebrar paradigmas, barreiras, e transformar o universo fashion em um espaço para todos.