Manaus (AM) – Jenival Souza Araújo, de idade não informada, teve sua residência incendiada após ter sido identificado como assassino de Fabrício Cruz Silva, de 33 anos. O incêndio foi causado pelos próprios familiares da vítima, em retaliação ao assassinato do homem. O homicídio e posteriormente o incêndio na casa, aconteceram durante a noite de sábado (31), na rua Andorinha, Cidade de Deus, zona Leste da capital.

De acordo com informações confirmadas pela 30a Companhia Interativa Comunitaria (Cicom), Jenival discutiu com Fabrício após uma briga de trânsito por conta de o carro da vítima estar obstruindo a passagem. Sem chegar a nenhum acordo, Jenival deu um tiro de espingarda no coração de Fabrício.

A vítima chegou a ser atendida ainda com vida e foi encaminhada ao Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo, ainda na zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde. Após receber a notícia do falecimento do homem, familiares de Fabrício foram até a casa de Jenival e tacaram fogo no local em uma espécie de cobrança pelo assassinato.

Para se salvar do incêndio, Jenival e a esposa, que estavam em casa no momento do ataque, decidiram fugir. O casal abandonou para trás a residência com todos os itens pessoais ainda dentro. Tudo ficou completamente destruído pelo fogo.

Já na manhã deste domingo (1), a casa permanecia vazia e com as portas abertas. Populares aproveitaram o espaço sem qualquer tipo de restrição e saquearam produtos que ainda não tinham sido queimados como, por exemplo, móveis, louças e alguns tipos de alimentos.

Após o ocorrido, o 30 Distrito Integrado de Polícia (DIP) trabalha para identificar o mais rápido possível o paradeiro de Jenival e também da esposa. No chão da residência, mesmo após o incêndio, estavam espalhadas pelo chão, munições calibre 16, oriundas da espingarda que o homem usou para matar Fabrício.