Manaus – Na tarde desta quinta-feira, 22, funcionários terceirizados da Maternidade Azilda Marreiro enviaram uma denúncia para o Portal CM7, onde alegam que estão sofrendo com salários atrasados há 5 meses, sem equipamentos obrigatórios, os funcionários não tem um lugar adequado para descanso, pois o espaço que eles tem para guardar seus pertences é o mesmo lugar onde os fetos ficam quando vão à óbito. (Veja o vídeo abaixo).

Segundo terceirizados, disseram que gestora da Maternidade mudou a empresa sem comunicar ninguém.. “Nós que somos pais e mães de família, passamos Natal e Ano Novo sem dinheiro, pais de família foram despejados, e nós estamos trabalhando por amor à maternidade” disse uma funcionária.

O Ministério Público deu prazo de 10 dias para tirar a empresa, que no contrato não tem nenhuma atividade de limpeza e seu proprietário é o funcionário da Susam, Sr. Marcelo Batista cujo nome da empresa é JBR que atualmente está em exercício da maternidade.

Foto e vídeo: Ediel Pinho / Portal CM7