Manaus (AM) – Uma menina identificada como Luana Costa, de 11 anos de idade, acabou morrendo após realizar um parto prematuro em consequência de uma série de estupros que a adolescente sofria antes e durante a gravidez. A vítima, que estava no 5º mês de gravidez, gestava um bebê que já era fruto de um dos abusos sexuais, mas morreu na manhã desta terça-feira (27), quatro dias após o parto induzido.

O crime ocorreu em uma comunidade rural, localizada na cidade de Uruará, no Pará (PA). O abusador da menor foi identificado como Francinildo Moraes, de 43 anos, mas continua foragido após a morte da garota. De acordo coma família da menina, o homem persuadia a menor de idade desde os 9 anos para que ela fizesse sexo com ele.

Os abusos sexuais sofridos pela criança só foram descobertos depois que a mãe e a tia perceberam alterações no corpo da menina e decidiram leva-la ao médico, que revelou a gravidez de cinco meses. Somente então, a menina contou a família sobre os abusos que sofria há pelo menos três anos.

De acordo com a tia, que não quis se identificar, o homem ameaçava a criança para que não contasse a ninguém. Para que não houvesse suspeitas, Francinildo Moraes praticava os crimes em locais afastados da aldeia onde a família mora.

Nas redes sociais do suspeito, dezenas de fotos publicadas por ele mesmo, mostram uma espécie de relação amorosa que ele praticava com a criança após persuadi-la. Após a morte de Luana, polícia segue à procura do suspeito.