Manaus – A Secretaria de Estado de Educação e Desporto criou um “Espaço PET” para o recebimento de garrafas plásticas, que serão entregues a uma cooperativa que trabalha com a coleta de material reciclável. A estrutura, chamada de “Senhor Garrafa”, está instalada logo na entrada da Vila Olímpica de Manaus, próximo ao bicicletário.

A ideia do projeto é conscientizar funcionários e frequentadores do espaço esportivo, além de moradores das comunidades próximas, a descartar de forma correta as garrafas plásticas, evitando que esse material seja jogado nas ruas e cheguem aos igarapés e rios da cidade, ajudando na limpeza e preservação do meio ambiente. 

A estrutura para recolhimento, montada em forma de árvore de Natal, foi feita de material reciclado como forma de mostrar ao público o que é possível ser feito com que ele está depositando. A estimativa é que o espaço receba cerca de 5 toneladas de garrafas, que serão destinadas à Associação Recicla Manaus.

O secretário executivo adjunto de Desporto, Edson Marques, explicou o que motivou a secretaria a tomar a iniciativa de criar um espaço para o recebimento desse material e falou sobre a ideia de estender a iniciativa para outros espaços.

“O consumo de água mineral em garrafinhas aqui na Vila Olímpica é grande por conta das atividades esportivas. Muitas eram descartadas junto ao lixo comum, o que impedia que o material fosse reaproveitado. Por isso surgiu esta ideia do espaço para a coleta. A ideia é expandir para os outros centros esportivos, como os estádios Carlos Zamith e Ismael Benigno”.

O secretário ressalta que, com a iniciativa, já é possível observar pessoas indo até a Vila Olímpica apenas para depositar o material, o que representa menos lixo jogado em local impróprio.

Material leva anos para desaparecer – As garrafas pet são feitas de Politereftalato de Etileno, um polímero termoplástico da família dos poliésteres, que teve seu uso iniciado na indústria têxtil e se popularizou na produção de garrafas plásticas.

Embora feita de um material totalmente reciclável e de fácil acesso, as garrafas pets tornaram-se vilãs na luta pela preservação do meio ambiente, uma vez que esse material demora, no mínimo, cem anos para ser eliminado do meio ambiente. 

De acordo com o chefe do departamento de Juventude da secretaria, Valdo Costa, a campanha ganhou importantes adeptos dentro do ambiente de trabalho da Vila Olímpica.

“Todos nós recebemos diariamente em nossas mãos garrafas pet e isso é uma grande causa para impulsionar a campanha, inclusive criando metas de recolhimento. Os funcionários têm trabalhado diariamente para atingir essa meta de garrafas depositadas”.