Manaus – Após a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciar a classificação do novo coronavírus como pandemia, ou seja, quando a doença se dissemina em nível global, a Prefeitura de Manaus realizou nesta quinta-feira, 12/3, mais uma reunião com gestores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), para traçar estratégias de enfrentamento à possível chegada do vírus na cidade.

“Essa classificação muda as estratégias e o direcionamento de ações para tentar conter o avanço do novo coronavírus, o Covid-19, caso chegue à cidade. O prefeito Arthur Virgílio Neto vem acompanhando toda essa movimentação e já determinou que todos os órgãos da administração municipal estejam no ‘front’, em parceria com as equipes de saúde do município, porque assim como ocorreu com o sarampo, também essa será uma guerra para a qual precisamos estar bem preparados”, diz o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi.

Seguindo a recomendação do Ministério da Saúde (MS), de que as ocorrências da doença devem ser tratadas principalmente nas unidades básicas de saúde, evitando que os infectados se dirijam a hospitais e policlínicas de grande porte, para prevenir o alastramento do vírus, a saúde municipal irá reforçar junto às suas equipes como identificar e proceder em relação ao novo coronavírus, caso ele venha a se manifestar em Manaus.

Todos os casos suspeitos ocorridos na cidade até agora tiveram a contaminação pelo novo coronavírus descartada após as devidas avaliações clínicas. “Mas é fundamental que a população faça a sua parte, adotando medidas simples para se proteger, como evitar locais de grande aglomeração de pessoas, cobrir a boca com o antebraço na hora de tossir ou espirrar, e o mais importante: higienizar as mãos constantemente, tanto durante os afazeres diários quanto no contato com outras pessoas” alertou Magaldi.

A Semsa já têm dez Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que funcionam em horário ampliado, de segunda a sexta-feira, das 7h às 21h, e aos sábados, das 8h às 12h, que serão, inicialmente, as de referência para o atendimento de casos suspeitos de Covid-19, além das UBSs Ivone Lima, Gebes de Medeiros, Arthur Virgílio e Nilton Lins.

Fotos – Divulgação / Semsa