Manaus/AM – A Polícia Federal (PF) no Amazonas, deflagrou na manhã desta sexta-feira, 19, a Operação VERTEX, uma nova fase da Operação Maus Caminhos, que investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de capitais e pertinência a organização criminosa.

A investigação foi desmembrada pelo Supremo Tribunal Federal – STF, da OPERAÇÃO MAUS CAMINHOS, em razão dos indícios detectados de recebimentos de vantagens indevidas pelo ex-governador que por exercer o cargo de senador, poderia ter direito a foro privilegiado no STF.

Os irmãos do senador e ex-governador do Amazonas, Amin Aziz, Murad e Mansour Aziz foram presos pela operação da PF, e também sua esposa, a ex-primeira dama, Nejmi Aziz. O advogado Lino Chíxaro também teve sua prisão decretada.

As informações que circulam, dão conta de que o ex-governador José Melo, teria feito um acordo de delação premiada e falado todo o esquema de corrupção investigado na operação “Maus caminhos”.

Nesta semana, José Melo deu um depoimento a justiça federal, onde supostamente pode ter delatado políticos e empresários envolvidos em um dos maiores esquemas de corrupção da história do Amazonas.

Entre as vantagens indevidas de que se tem suspeita, teria havido entregas de dinheiro em espécie ou por meio em negócios simulados ou superfaturados, a fim de ocultar a entrega de dinheiro dissimulado por meio de contratos de aluguel e de compra e venda. A investigação está diretamente relacionada com as outras fases da OPERAÇÃO MAUS CAMINHOS, sendo elas a OPERAÇÃO CUSTO POLÍTICO, OPERAÇÃO ESTADO DE EMERGÊNCIA e OPERAÇÃO CASHBACK.

Estão sendo cumpridos 09 mandados de prisão temporária, 15 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de bloqueios de contas de pessoas físicas e jurídicas
(aproximadamente 92,5 milhões de reais), 07 mandados de sequestro de bens móveis e imóveis, expedidos pela Justiça Federal, que, após parecer do Ministério Público Federal, deferiu representação do Delegado de Polícia Federal que preside a investigação.