No Pará, bois mortos começam a ser retirados da praia de Barcarena

Por Cileide Moussallem em 13 de outubro de 2015 às 20:13 | Atualizado 4 de agosto de 2016 às 2:53

Uma a uma, as mobílias eram encaixotadas e colocadas em um caminhão de mudança. O pescador Pedro de Souza Gonçalves, 79 anos, a esposa e os dois filhos foram obrigados a abandonar a casa de madeira, em frente à Praia do Conde, em Barcarena, depois que as barreiras de contenção dos tanques de óleo e de bois do navio Haidar romperam, na noite de domingo.

Deixe seu comentário