Manaus – No último dia 02 de março, a Unimed Manaus sofreu mais um duro golpe com a suspensão determinada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar com a venda de mais sete planos de saúde, que só agrava a longa crise vivida pela cooperativa, pois segundo já noticiado possui uma dívida superior a 350 milhões de reais.

A crise da Unimed a obrigou atrasar o pagamento de fornecedores, tributos e a pagar somente 50% do faturamento mensal de seus médicos, com a promessa de pagamento dos demais 50% quando for superada a crise. A denúncia feita é de que o único médico plantonista teria faturado no ano de 2017 mais de 1 milhão de reais.

Trata-se do médico anestesista Sérgio Bevilaqua Procópio, que somente no mês de agosto daquele ano, faturou mais de 144 mil reais. A remuneração do médico Sérgio representa praticamente o dobro do faturamento do segundo médico melhor remunerado de sua especialidade, no mesmo período.

Segundo informações, a denúncia veio acompanhada de documentos comprobatórios do caso, aos quais deixamos de publicar, pois menciona o faturamento de todos os médicos da especialidade, mas encontram-se à disposição das autoridades para investigação.

Alguns médicos plantonistas da Unimed foram procurados para saber como é possível um único médico alcançar esse faturamento milionário, a resposta foi taxativa: “é impossível, nem que o médico more dentro de uma unidade médica é possível faturar tanto com plantões ou com a produção”.