lass="justify">Manaus – O médico e empresário Mouhamad Moustafa – investigado pelo ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) por desviar verbas da saúde do Estado – foi condenado a 11 anos e oito meses de prisão por pagamentos superfaturados à empresa Ita Serviços, por serviços de lavanderia prestados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Maternidade Tabatinga no valor de R$ 630 mil. A sentença condenatória foi proferida pela Justiça Federal em ação penal movida pelo Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, em decorrência da Operação Maus Caminhos.

Atualização às 12h04

Veja os nomes e cargos dos demais condenados na Operação:

A  advogada Priscila Marcolino Coutinho – sócia do médico – a oito anos e quatro meses de prisão, a enfermeira Jennifer Naiyara Yochabel Rufino Corrêa da Silva a dois anos e dois meses de prisão e o empresário Erhard Lange a cinco anos e dez meses de prisão. Os quatro réus foram condenados pelo crime de peculato, previsto no artigo 312 do Código Penal.