Manaus começa a vacinar contra a Covid-19 nesta terça-feira (19)

Por Almeida em 19 de janeiro de 2021 às 9:46 | Atualizado 19 de janeiro de 2021 às 9:46

Manaus (AM) – A Prefeitura de Manaus inicia nesta terça-feira, 19/1, a vacinação contra a Covid-19. A abertura oficial dos trabalhos de imunização será às 9h, no auditório da sede do Executivo municipal, com a aplicação das primeiras doses a 30 profissionais de saúde da rede municipal, como ato simbólico. Na quarta-feira, 20/1, as 50 equipes de vacinadores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) iniciam a vacinação volante em unidades de urgência e emergência da rede pública.

Os profissionais de saúde que atuam na linha de frente no atendimento à população representam o grupo prioritário da primeira fase de vacinação, conforme definido pelo Ministério da Saúde. O outro grupo a ser vacinado nesta primeira fase são os povos indígenas aldeados.

Um total de 40.072 doses do imunizante da marca Coronavac, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, foram destinadas ao município de Manaus na primeira remessa enviada na última segunda-feira, 18/1, pelo Ministério da Saúde.

Com o quantitativo recebido, a meta é vacinar 34% dos 56.618 trabalhadores da saúde, incluindo os da rede pública e privada, o que corresponde a 19.250 profissionais que atuam na capital, além de 100% dos 386 indígenas aldeados na área rural do município. A estes dois grupos serão aplicadas as duas doses de vacina necessárias para completar o esquema vacinal, com o intervalo de duas a quatro semanas entre a primeira e a segunda dose.

De acordo com o Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19, que atende ao que foi estabelecido pelo Plano Nacional e pelo Informe Técnico da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, emitido nesta segunda-feira, 18/1, todos os trabalhadores da saúde serão contemplados, mas a vacina será ofertada de forma gradativa e de acordo com a disponibilidade do produto no País.

Os demais grupos da população-alvo serão vacinados na ordem de prioridade e de acordo com fases prédefinidas e que incluem pessoas acima de 60 anos internadas em instituições de longa permanência, pessoas com deficiências que moram em instituições de assistência (ainda Fase 1); pessoas que têm entre 60 e 74 anos, grupos de risco a partir de 60 anos (fase 2), pessoas de qualquer faixa etária com comorbidades (fase 3), professores, força de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade (fase 4).

A definição dos grupos leva em conta, entre outros fatores, o maior risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos por Covid, o maior risco de infecção, a manutenção dos serviços de saúde, a capacidade de atendimento à população e a manutenção dos serviços essenciais.

O cronograma de aplicação das doses nas demais fase da campanha só poderá ser elaborado após o envio de novas remessas de vacina. Os locais de vacinação também só serão confirmados pela prefeitura após o fechamento do cronograma, mas já está definido que serão espaços públicos amplos e de fácil acesso.

Estrutura e registro

Para a vacinação na capital, a Prefeitura de Manaus providenciou 1,5 milhão de seringas e já tem em estoque 500 mil unidades, além de  quantidade de algodão e EPIs suficientes para a realização de todas as fases da campanha de vacinação contra a Covid-19.

Duzentos profissionais integram as 50 equipes de vacinação responsáveis pela execução da campanha. Cada uma é composta por dois vacinadores e dois registradores. Nas fases seguintes, a Semsa estima que sejam mobilizados ainda cerca 2 mil servidores que devem atuar nas áreas de transporte, apoio técnico, digitação, enfermagem e outras.

Diferentemente das demais vacinas oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o registro da dose aplicada para a Covid-19 será feito de modo nominal e individualizado. Para ser imunizado o usuário terá que se identificar com nome e número de CPF ou do Cartão Nacional de Saúde (CNS) e os dados serão enviados para a base de informações do Ministério da Saúde em até 72 horas.  A medida visa garantir o acompanhamento de quem foi vacinado, evitar a duplicidade da vacinação, e viabilizar a identificação e o monitoramento de possíveis reações adversas.

Primeira remessa

O prefeito de Manaus, David Almeida, e a titular da Semsa, Shádia Fraxe, acompanharam a chegada da primeira remessa de Coronavc à capital. O avião trazendo os imunobiológicos aterrissou no Aeroporto Ajuricaba (Ponta Pelada), da Base Aérea de Manaus, por volta das 18h40 da última segunda-feira, 18/1. “Foi um momento histórico, de muita emoção, pela esperança que a vacina representa para todos nós”, disse Shádia.

De acordo com o fabricante, a Coronavc contém o vírus SARS-CoV-2 inativado e as doses devem ser mantidas em temperatura de +2ºC e +8ºC.  A vacina é contraindicada para os que apresentam hipersensibilidade ao princípio ativo ou a qualquer dos excipientes da vacina e para aquelas pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmada a uma dose anterior de uma vacina Covid-19.

Deixe seu comentário