Mais de 400 educadores dos blocos pedagógicos, do 1º e 3º ano, da rede municipal de ensino da Prefeitura de Manaus, participaram na manhã desta terça-feira, 6/10, da videoconferência “Alfabetização de forma remota: apresentação das práticas exitosas em alfabetização remota”. O objetivo foi o de compartilhar as práticas exitosas dos professores que trabalham com alfabetização, realizadas de forma remota no período de pandemia do novo coronavírus.

O encontro foi realizado pelo canal EduInovam, no YouTube e Hangoust Meet (sala de formadores) e foi organizada pela Divisão de Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Araújo, também participou do evento e falou da importância do envolvimento de todos os educadores e do apoio e confiança na equipe pedagógica da rede municipal, que em 2019 teve 69% das crianças alfabetizadas até o final do 3º ano.

“A Semed vem trabalhando desde 2015 para melhorar seus índices de alfabetização e conseguimos muitos avanços, mas precisamos ainda melhorar em alguns pontos. Todo esse crescimento é fruto de muito trabalho dos professores, pedagogos, diretores e também da confiança que o prefeito Arthur Virgílio Neto e a secretária Kátia Schweickardt depositam na equipe”, avaliou Euzeni, que também exaltou o trabalho durante a pandemia. “Essa videoconferência é a prova de que nesse período de isolamento social, por conta da Covid-19, todos precisaram se reinventar e estamos conseguindo superar com muita inspiração para melhorar cada vez mais a aprendizagem das nossas crianças”, comentou a subsecretária da Semed.

A videoconferência contou ainda com a participação de Suely Amaral, consultora em alfabetização de São Paulo; Karolina Cordeiro, professora e formadora da Fundação Vitória Amazônica; e Edmilza Ferreira, formadora da Divisão do Desenvolvimento do Profissional do Magistério. A mediadora do debate foi a chefe da Divisão de Ensino Fundamental, Vera Silva.

Foram mais de duas horas de muita conversa e troca de experiências. Durante o encontro virtual professores demonstraram as atividades, que envolveram muita música, poesia, entre outras, realizadas com os alunos desde que as aulas presenciais foram suspensas e eram enviadas por meio de aplicativo de conversa aos pais dos alunos.

Suely Amaral deu várias dicas de atividades que podem contribuir para a alfabetização de uma criança. “Um trabalho intenso com leitura, que nos primeiros anos envolva cantigas, parlendas e brincadeiras, vai ajudar a criança a reconhecer letras, sons, rimas e trava-línguas. Tudo isso são ferramentas onde pode se trabalhar os fonemas de acordo com a região onde mora a criança”, disse Suely.

Ao final do encontro, houve uma roda de conversa onde todos os participantes puderam fazer perguntas aos convidados sobre as metodologias utilizadas na alfabetização e de como manter uma educação de qualidade, mesmo que seja a distância.

“Nós fazemos a escola, o professor cada vez mais se reinventa. Esse é um momento para parabenizá-los por tudo que eles vêm desenvolvendo e pudemos presenciar nesse encontro. Foi muito bom tirar dúvidas e contribuir com a nossa experiência, para que o professor se mantenha firme nessa missão”, observou Karolina Cordeiro.