Manaus – Na manhã desta terça-feira, 19, a Polícia Civil deflagrou a operação “Incautos” que desarticulou um esquema que oferecia cursos de graduação falsos em Manaus.

De acordo com o delegado Marcelo Martins, da 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), quatro pessoas foram presas em cumprimento ao mandado de prisão preventiva, além de documentos e veículos que também foram apreendidos.

Os funcionários da Escola Superior Batista do Amazonas (Esbam), faculdade particular localizada na Zona Centro-Sul de Manaus, a coordenadora do esquema Helem da Silva Santos, a advogada Núbia Batista Pinheiro, a professora Meirijane da Silva e o professor Valdir Pavanelo foram presos para cumprimento de mandato judicial, outras quatro pessoas identificadas como Fabiano Lima da Silveira, Marivaldo Carvalho Fonseca, Rubens Pedro de Farias Junior e Amós Alves Santos continuam foragidos.

Os membros do esquema cometeram pelo menos quatro crimes? organização criminosa, furto e estelionato. “Uma vasta documentação foi apreendida e várias pessoas estão sendo investigadas. O dinheiro angariado com a fraude não ia para a instituição, a faculdade também era vítima desse esquema. As pessoas se matriculavam e no encerramento do curso iam exigir o diploma e a faculdade não tinha como fornecer”, disse o delegado Aldeney Goes.

Os funcionários da Esbam ofereciam cursos de extensão como se fossem como graduação. As empresas envolvidas no esquema cooptavam vítimas.

A Esbam foi vendida, porém os compradores não honraram o contrato de compra e venda. Os antigos donos ingressaram na justiça para reaver a faculdade. A intervenção judicial faz parte de tentativa de desfazer a venda da instituição.

Direito de resposta:

A redação entrou em contato com a assessoria da Faculdade Esbam através do número (92) 3305-1800, mas não deram nenhum posicionamento. Deixamos o espaço para o direito de resposta.

Conforme a lei 13.188/2015, Art. Aclarando ao ofendido em matéria divulgada o resguardo a direito de resposta.

TodaHora