Ex-prefeito de Anamã, Jecimar Pinheiro Matos é multado pelo TCE em R$ 236 mil - Portal CM7 - Notícias de Manaus e Amazonas


Ex-prefeito de Anamã, Jecimar Pinheiro Matos é multado pelo TCE em R$ 236 mil

Postado por Alexandre - 09/10/2018 14:42    

Amazonas – As contas referentes ao exercício de 2014 da Prefeitura de Anamã, de responsabilidade do então prefeito, Jecimar Pinheiro Matos, foram desaprovadas pelos conselheiros do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), com aplicação de multa ao ex-prefeito no valor de R$ 236 mil. A decisão foi proferida na manhã desta terça-feira (9), durante a 35ª sessão ordinária. Ainda cabem recursos.

O valor das multas é decorrente de diversas irregularidades identificadas nas contas da Prefeitura, entre elas problemas na contratação de empresa para prestação de serviço e iluminação pública no município com ausência de diversos documentos obrigatórios como o processo administrativo, minuta do edital aprovada pela assessoria jurídica da administração, projeto básico, registros fotográficos da obra, entre outras ausências.

O relator do processo, conselheiro Ari Moutinho Júnior, recomendou ainda a atual administração da Prefeitura de Anamã que providencie a imediata implantação da Procuradoria do Município, para que assim possa atender as determinações legais presentes no artigo 37 e 132 da Constituição Federal.

Câmara de Ipixuna- De relatoria do auditor Alípio Reis Firmo Filho, as contas de 2016 da Câmara Municipal de Ipixuna foram julgadas irregulares por unanimidade no colegiado do TCE, com aplicação de multa de R$ 186 mil ao à época presidente Fábio Martins Saraiva, devido à ausência de documentos comprobatórios de retirada em espécies e à multas e juros de INSS, além de outros atos praticados com grave infração às normas legais.

O auditor Alípio Reis Firmo Filho também determinou, na sua propositura de voto, que a Câmara de Ipixuna implante o Controle Interno que possibilite a execução de Auditoria Prévia dos Atos Administrativos praticados em cada exercício, conforme estabelecem os artigos 31 e 74 da Constituição Federal, assim como o que diz o artigo 45 da Lei 2423/1996 do TCE-AM.

Outros irregulares- As contas de 2015 da Prefeitura de Boca do Acre foram reprovadas e o relator do processo, conselheiro Julio Cabral, determinou a devolução de R$ 23 mil por parte do então responsável, Antônio Iran de Souza. Também de relatoria do conselheiro Julio Cabral, as contas de 2016 da Prefeitura de Benjamin Constant, de responsabilidade da então prefeita Iracema Maia da Silva, que terá de devolver aos cofres públicos R$ 19,6 mil. De relatoria do conselheiro Ari Moutinho Júnior, as contas de 2016 do Fundo Municipal da Previdência e Assistência Social de Fonte Boa (Fumpas) foram desaprovadas e o responsável, Francisco Dantas de Lima terá de devolver R$ 32,8 mil aos cofres públicos.

Já as contas de 2014 do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), de responsabilidade de Roberto Rocha da Silva e relatoria do auditor Alípio Reis Firmo Filho, foram julgadas irregularidades e o então responsável terá de devolver R$ 26,4 mil aos cofres públicos. O auditor Luiz Henrique Pereira Mendes reprovou as contas de 2016 da Prefeitura de São Paulo de Olivença e determinou a devolução de R$ 33,1 mil aos cofres públicos por parte do então prefeito, Raimundo Nonato Martins.

Regular com ressalvas- As contas da Fundação de Dermatologia Tropical e Venerologia Alfredo da Matta (Fuam), referentes ao exercício de 2018, forma julgadas regulares com ressalvas pelo auditor Alípio Reis Firmo Filho, sem aplicação de multa ao então responsável, Francisco Helder Cavalcante Sousa.

Durante a 35ª sessão ordinária foram apreciados 46 processos, sendo dez prestações de contas anuais; quatro embargos de declaração; 11 representações; um processo de transmissão de cargo; 19 recursos, entre eles seis de revisão, onze ordinários e dois de reconsideração, além de um pedido de auditoria.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie nas Últimas Notícias
 
Aplicativo da Rádio CM7