Com Lendas, contos, mitos, histórias que você costuma ouvir desde
criança ou que seus avós sempre contaram fazem parte da identidade
cultural de nossa cidade e são responsáveis por nos ajudar e entender
nossas origens, projetando nosso caminhar rumo ao futuro sem que
esqueçamos quem somos. Essa é a maior riqueza do Festival Folclórico do
Amazonas que este ano chega à sua 63ª edição.
O festival conta a história da cultura ribeirinha e seus elementos mestiços
do caboclo, indígena, negro e nordestino. É no palco que o caboclo e o
artista se misturam, dando vida, cor e ritmo às lendas e mitos da
Amazônia em uma diversidade de danças que só existem aqui. Esse
espetáculo pode ser conferido desde o dia 09 de Agosto, no Anfiteatro da
Ponta Negra.
Sessenta e nove grupos folclóricos da cidade se apresentarão até o dia 20,
no espaço que resgatou o contato direto com o público e com o espaço que
retrata a origem do festival: o tablado.
A Prefeitura de Manaus orgulha-se de ter participado desse resgate,
vivenciando, desde 2017, esse sentimento de paixão que move aqueles
que se apresentam, representando sua comunidade e contando nossa
história, passando esse compromisso de geração em geração.
Editais de apoio
Desde 2013, a Prefeitura de Manaus apoia as manifestações culturais
folclóricas através de editais, uma maneira transparente, democrática e
que oferece oportunidades iguais para acesso aos recursos públicos.
Nos últimos cinco anos já foram investidos mais de R$ 13 milhões tanto
nas festividades dos bairros quanto no Festival Folclórico do Amazonas.
Além disso, em 2017 foi sancionada a lei que institui do Sistema de
Fomento à Cultura (SISCULT), lei que torna obrigatório o investimento em
folclore de 10% do orçamento dos programas especiais da Manauscult.
Desde 1957 o Festival Folclórico do Amazonas reúne as manifestações
folclóricas presentes nos bairros de Manaus em danças que vão da ciranda
às tribos, da quadrilha tradicional à cômica, da dança nordestina ao
cacetinho, dança que remete às tradições indígenas de usar tacapes e
bordunas para comunicar-se e que é considerada patrimônio imaterial do
Amazonas.

Histórico
O festival inicialmente acontecia no Centro de Manaus, onde hoje está
localizado o Colégio Militar. Após 1979, com a instalação do colégio, ele foi
transferido para o Parque Amazonense, posteriormente para o Estádio da
Colina e também para o antigo Estádio Vivaldo Lima, o Vivaldão.
Mas foi na Praça Francisco Pereira da Silva, mais conhecida como “Bola da
Suframa”, que o evento ganhou força e se tornou ainda mais conhecido na
cidade. Mais tarde foi criado o Centro Cultural Povos da Amazônia, que
também abrigou a festa por muitos anos.
Em 2017, a fim de resgatar a proximidade e a participação do público, o
Festival Folclórico do Amazonas passou a acontecer na Ponta Negra com
um novo elemento: a feira gastronômica. Comidas típicas e novos sabores
se misturam em uma diversidade de pratos com preços populares: Tacacá,
vatapá, pirarucu à casaca, sorvete na chapa, quitutes japoneses, pizza no
cone e muitos doces são uma atração à parte do festival.
Até o dia 20 de agosto, das 19h às 0h, o 63º Festival Folclórico do
Amazonas espera por você! Confira! O evento é gratuito. Mais informações
em vivamanaus.com.

Por: Secretaria Municipal de Comunicação
conteúdo de responsabilidade do anunciante