Em tempos de pandemia, Janell Doyle exalta parcerias públicas e privadas

Por Almeida em 14 de abril de 2021 às 15:25 | Atualizado 14 de abril de 2021 às 15:25

Manaus – O Lar Batista Janell Doyle, que atende de forma direta e indireta aproximadamente duas mil famílias em Manaus, é uma das entidades sociassistenciais fomentadas pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS). A Prefeitura de Manaus e a sociedade civil são também responsáveis pela manutenção da obra social iniciada em 12 de outubro de 1996.

Para o exercício de 2021, o Janell Doyle está recebendo dois fomentos da Seas, totalizando R$ 652 mil. O primeiro, no valor de R$ 450 mil, é para continuidade do atendimento do abrigo institucional de 0 a 18 anos. O segundo, da ordem de R$ 202 mil, é destinado ao serviço de abordagem social para pessoas em situação de rua.

Transporte e Acessibilidade – O Governo do Estado, via FPS, colaborou com o Janell Doyle com doação de uma Van para translado dos usuários (escola, consultas médicas, saída de grupos). Além disso, o Fundo de Promoção Social possibilitou a revitalização do abrigo no que diz respeito ao cumprimento das normas técnicas sobre acessibilidade (plataforma elevatória).

“As necessidades da casa são diversas, sendo que o gargalo é a parte financeira de remuneração do pessoal, como assistentes sociais, psicólogos, cuidadores, educadores sociais, cozinheiras, motoristas, pessoal de limpeza e manutenção. Os fomentos nos possibilitam justamente honrar com essas despesas financeiras e continuamos precisando de toda a sociedade para que as outras necessidades sejam atendidas, trazendo qualidade de vida as nossas crianças”, disse a diretoria Magaly Araújo, ressaltando o apoio do poder público ao Janell Doyle.

A importância das doações – Além dos fomentos do Governo do Estado e da Prefeitura de Manaus, a instituição recebe ajuda por meio de emendas indicadas por parlamentares. O Janell Doyle atua em quatro importantes frentes: Abrigo Institucional (0 a 18 anos, ambos os sexos), Família Acolhedora (0 a 18 anos, ambos os sexos), Abordagem Social-Reame (pessoas em situação de rua) e Fábrica de Sonhos (proteção social básica, serviço de convivência e fortalecimento de vínculos com todas as pessoas do Mauazinho).

“Mesmo com essa ajuda do poder público, continuamos precisando do apoio da sociedade civil, de empresas e pessoas físicas. Precisamos permanentemente de doações de roupas e calçados para as crianças, medicamentos, fraldas descartáveis, alimentação, material de higiene pessoal, limpeza da casa e outros. A pessoa que quiser colaborar pode solicitar a lista de necessidades pelo Whatsapp”, explicou Magaly.

Deixe seu comentário