Idealizadores de Carta Aberta fazem parceria com associações, clientes e empresários para solicitar apoio e atenção dos órgãos competentes

Ao gerar mais de seis mil empregos diretos e indiretos, empreendedores de mais de 800 estabelecimentos localizados no bairro Vieiralves, expressivo polo gastronômico e de entretenimento da cidade, por meio de Carta Aberta, solicitam aos governos estadual e municipal atenção para assuntos de infraestrutura e segurança do local.
O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Manaus, Ralph Assayag, que apoia a iniciativa da Associação dos Empresários do Vieiralves (AEV), ressalta a importância de estreitar laços e unir forças para ter um retorno positivo dos tributos que são cumpridos pelos moradores e empresários. “As lideranças desses negócios estão dispostas a trabalhar e melhorar o local, mas tem encontrado dificuldades de conseguir o apoio dos órgãos públicos competentes, que não estão agindo para proporcionar melhorias em uma área nobre da cidade, que tem forte potencial para ser um shopping a céu aberto. A associação está fazendo certo e estamos à disposição para ajudar, haja visto que se não fosse pelo comércio desenvolvido, a região estaria abandonada”, explica Ralph.
De acordo com a presidente da Associação dos Empresários do Vieiralves, Adlinez Moreno, a decisão de tornar a Carta pública foi devido os empresários acreditarem que as associações podem ser verdadeiras parceiras do poder público, haja vista que vivenciam o dia a dia do bairro e conhecem as dificuldades enfrentadas por moradores, clientes e empreendedores.
“Fizemos essa Carta para mostrar à população que os empresários estão dispostos a ajudar, buscando mais parcerias com os órgãos públicos, para que possamos ser atendidos nas demandas que os governos já conhecem. Esse é o novo Brasil, com uma nova forma de pensar, onde todos possam se unir por um bem comum que, nesse caso, é aprimorar esse polo de desenvolvimento econômico no coração da cidade”, destaca a presidente.
De acordo com a vice-presidente da Associação, Helena Amorim, tanto clientes quanto empreendedores têm sido afetados pela falta de estrutura nos diversos segmentos de apoio para os estabelecimentos e serviços que são prestados naquela região, a qual tem crescido nos últimos anos e funciona como centro comercial e atende o público das diversas zonas da cidade.
“Um fator importante é a segurança para todos. Tenho empreendimento no bairro há mais de 20 anos e já sofri algumas vezes com assaltos. Inclusive, há duas semanas meu empreendimento foi arrombado e tive prejuízos. Nosso apelo às autoridades é que deem mais atenção ao bairro para que possamos trabalhar e oferecer mais tranquilidade a todos”, explica Helena.
Para o empresário Jian Dalberto, da rede de restaurantes Búfalo, na qual a unidade do bairro funciona há 20 anos, a reivindicação dos associados é por uma cidade melhor, haja vista que o local se tornou um importante centro comercial com diversas opções de lazer, gastronomia, hotelaria e negócios em geral.
“Entre as diversas demandas que reivindicamos para esse centro comercial destaco o trânsito para proporcionar melhor trafegabilidade aos usuários, pois estamos sofrendo as consequências da abertura de diversos estabelecimentos que não oferecem estacionamento de acordo com suas demandas. Diariamente, às 8h, lojistas e clientes não têm mais onde estacionar seus veículos, causando diversos transtornos ao longo do dia. Pedimos que o poder público reveja essa situação para que todos cumpram as devidas leis”, comenta Jian Dalberto.
Para que possam continuar a oferecer serviços de qualidade para a sociedade e gerar emprego e renda para os trabalhadores, entre as demandas listadas na Carta Aberta pelos empreendedores estão:
– Revitalização do bairro: asfalto, gradis de bueiros, revitalização ou troca das luminárias que simbolizam o bairro, iluminação pública, lixeiras, conserto de calçadas, fios emaranhados de telefonia, reforma de praças, arborização, dentre outros;
– Sinalização de trânsito: implantação do projeto do Manaustrans para tornar as ruas do bairro binárias, bem como nova sinalização vertical e horizontal;
– Licenciamentos irregulares de atividades de comércios e serviços em relação a estacionamentos: no que diz respeito a empresas de grande porte que não possuem estacionamento próprio para os clientes de acordo com a demanda;
– Visita à obra do viaduto: ao serem favoráveis às intervenções para melhorar a fluidez neste corredor viário, os empreendedores aguardam um posicionamento sobre as futuras intervenções, tendo em vista que alguns estabelecimentos se encontram prejudicados devido as ruas que se encontram fechadas;
– Esportes: para promover mais qualidade de vida aos moradores do bairro e adjacências, a sugestão é fechar uma das vias da avenida João Valério para a prática de desporto e lazer, aos domingos, semelhante ao projeto “Faixa Liberada”, realizado no complexo turístico Parque Ponta Negra;
– Iluminação de natal e eventos: tendo em vista que se aproxima as festividades natalinas, o bairro receber decoração para atrair e encantar os clientes;
– Segurança pública: diante dos acontecimentos de furtos e arrombamentos ocorridos durante o dia e à noite, gravados por câmeras, está sendo solicitado a presença de mais efetivo no local, haja vista ser uma importante área comercial e bancário da cidade.

CARTA ABERTA FINAL