Amazonas Energia não perdoa 'calote' e Tropical Hotel continua no escuro
Manaus - Amazonas - 04:46
18 de Julho de 2019

C/S PI 5577 - EFTIVAÇÃO DE MIDIA/BANNER / CAMPANHA NOVAS MEDIDAS - FASE I / SECOM / PORTAL CM7


Amazonas Energia não perdoa ‘calote’ e Tropical Hotel continua no escuro


Manaus – Na tarde desta quinta-feira (16), a distribuidora Amazonas Energia emitiu uma nota esclarecendo a situação de corte de abastecimento do Tropical Hotel. Confira a nota na íntegra:

Nota Oficial da Amazonas Energia

A Amazonas Energia informa que há mais de 20 anos ocorrem diversas tentativas de negociações com o Tropical Hotel Manaus. E, suspensões de fornecimento de energia elétrica do hotel, por não cumprimento dos acordos, ocorreram por diversas vezes, ao longo dos anos. A última negociação ocorreu em abril de 2019, quando a Amazonas Energia concedeu desconto de 60%, sobre o valor de uma dívida de mais de R$ 20 milhões, o acordo, que previa o pagamento de R$ 8 milhões, pelo Tropical Hotel, também não foi cumprido. Desde o ano de 2018 até o presente momento, foram realizados três cortes por inadimplemento, entretanto a Distribuidora realizava o religamento mediante liminares.

Reforçamos que todo o procedimento realizado foi feito de forma legítima, obedecendo às regras contidas na Resolução 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) – (art. 172), que autoriza a suspensão no fornecimento de energia para todas Distribuidoras de Energia do país, em caso de inadimplemento.

Reiteramos que a Amazonas Energia tem como maior objetivo a distribuição de energia elétrica em todo o Estado do Amazonas e, para tal, compra energia em grandes blocos e disponibiliza aos consumidores.

Importante salientar que o não pagamento das faturas de energia elétrica, implica em prejuízos principalmente para toda à sociedade, pois implica na redução da capacidade, expansão e qualidade de energia em todo o Estado.

Por fim, a Amazonas Energia reitera o compromisso de atender os clientes com mais rapidez e qualidade.

Deixe seu like:

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA