517 casos de pessoas desaparecidas foram registrados em menos de um ano na capital do Amazonas - Portal CM7
 
Manaus, 12 de dezembro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Cidades / 517 casos de pessoas desaparecidas foram registrados em menos de um ano na capital do Amazonas

517 casos de pessoas desaparecidas foram registrados em menos de um ano na capital do Amazonas

Da redação | 16/10/2016 19:24

show_capturarConforme a delegada titular da DEOPS, Catarina Torres, o número de pessoas que vão à delegacia para comunicar o desaparecimento de familiares  tem crescido. Conforme dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), de janeiro a agosto deste ano, 517 casos de desaparecimento foram registrados nas delegacias do Estado. Durante o ano passado. Durante o ano todo de 2015, foram 851.

A delegada destaca que as principais causas dos desaparecimentos  que chegam à DEOPS são o envolvimento do desaparecido com drogas e  a orientação sexual,  que muitas vezes não é aceita pelos familiares  quando a pessoa decide sair de casa, sem avisar, para ir morar com o parceiro ou parceira.

Há ainda os que sofrem distúrbios psicológicos, que mediante a qualquer descuido dos familiares conseguem sair de casa sem ser percebidos. Estes andam muito e não sabem voltar para casa. Outros sofrem acidentes de trânsito ficam desacordados e não tem como avisar a família. Existem também os casos de outros que são encontrados mortos.

De acordo com Catarina Torres, a maioria dos desaparecidos  é encontrada pela polícia,  volta espontaneamente para suas famílias ou dá notícias informando onde está.  Há ainda aquelas que são vistas por terceiros que comunicam à polícia. A delegada  tem como aliada a imprensa  na localização de pessoas desaparecidas. “Quando somos comunicados do desaparecimento de alguma pessoa, imediatamente, encaminhamos o caso para a nossa assessoria que se encarrega de fazer a divulgação”, explicou.

A divulgação é feita com base nas informações passadas pela   família. Estas são repassadas para jornais, televisão, rádio e redes sociais. Conforme a delegada, a resposta é quase imediata, começam a chegar informações que são checadas pela polícia.  “Os meios de comunicação são nossos parceiros e nos ajudam muito”.

Shara Ruana está desparecida há nove anos

Apesar do empenho da polícia e da família, no Amazonas, há casos de pessoas que há anos estão desaparecidos. A delegada Catarina Torres garante que a polícia não desiste de procurá-los. “Só desistimos quando há um desfecho final, mas sempre acreditamos que ainda vamos encontrá-los”.

Há famílias, no entanto, que nunca perdem a esperança. “É um sofrimento que não acaba”. É assim que a auxiliar de serviços gerais Alzenira Nascimento dos Reis, mãe de Shara Ruana, desaparecida desde o dia 28 de novembro de 2007, define os quase noves anos sem saber até hoje o que aconteceu com a filha. A garota, que tinha sete anos na época, saiu de casa na rua Armando Barbuda, bairro Betânia, Zona Sul, para comprar pão e nunca mais foi vista. Ela destaca que tantos casos são solucionados, mas o da filha não é. “Vivo na agonia, esperando saber onde ela está. Ainda choro muito, mas tenho que reerguer a cabeça porque têm os outros filhos para criar, mas mãe nunca perde a esperança de encontrar um filho desaparecido”.

Catarina Torres frisa que há casos que, embora poucos,  com base nas informações da família, há quase a certeza de que o procurado está morto.

Comunicação rápida

A delegada alerta a população para que, ao notar  ao constatar que uma pessoa da família desapareceu, que seja imediatamente comunicado a polícia. O registro pode ser feito em qualquer delegacia que depois será encaminhado a DEOPS. Todos os casos são investigados.

Matéria do Á Critica http://www.acritica.com/channels/manaus/news/em-oito-meses-517-casos-de-pessoas-desaparecidas-sao-registrados-em-manaus

{{post.date}}

 


Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA