Amazonas – Nesta segunda-feira (1), a Equipe Médica Multiespecializada do Pronto Socorro e Hospital Regional José Mendes, com exercício no município de Itacoatiara, região Metropolitana de Manaus, irão parar suas atividades decorrente ao atraso injustificável da Prefeitura sobre os salários dos serviços prestados a população itacoatiarense durante a pandemia do novo corona vírus.

Os funcionários estão desde o mês de abril sem receber seus salários, logo, não encontram-se mais dispostos a enfrentar toda falta de respeito e consideração com o grupo que está na linha de frente do combate a covid-19. “Somos hoje mais de 80% dos funcionários do hospital infectados, trabalhamos por muitas vezes contaminados mesmo por falta de profissional para repor, pois ninguém quer vir trabalhar em Itacoatiara, este governo fez a fama de mal pagador ir longe.”, disse a comissão.

Os funcionários afirmam que além de colaborar com o atraso dos salários do médicos há 3 meses, Antônio Peixoto, já praticou atos ilegais previstos no Artigo 11 da Lei 8.429/92, entre eles o de ‘retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício’ ao descumprir decisões judiciais. Assim como se empenha nas licitações enganosas de combustíveis e asfaltamento, coleta do lixos até a merenda das escolas que não estão em atividades.

‘Era como ir a uma guerra sem arma’, relata a equipe médica. Diante do exposto, a imensa maioria dos funcionários já informaram à cooperativa da decisão que agora passa a relatar a paralisação parcial dos serviços a partir de hoje 01/06, onde irão atender apenas casos de urgência e emergência, farão a paralisação de cirurgias eletivas em sua plenitude, transferências de pacientes para Manaus apenas os casos extremos e a solicitação judicial do bloqueio das contas da Prefeitura do município. 

Confira abaixo a carta aberta:

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO DE ITACOATIARA