No primeiro Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) o tema da redação foi “democratização do acesso ao cinema no Brasil”. O MEC lançou na semana passada um programa para incentivar cinemas acessíveis a surdos, cegos e autistas pelo país.

Na semana passada, o Ministério da Educação (MEC) assinou uma parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). O evento contou com a presença da primeira-dama da República, Michelle Bolsonaro. No programa, a Fundaj vai disponibilizar 20 filmes nacionais com produção de acessibilidade comunicacional, o que inclui fone com audiodescrição para cegos e pessoas com baixa visão, além de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e legenda para surdos e ensurdecidos.

Outro ponto do projeto prevê a adaptação de salas de cinema para o público autista. A ideia é que o ambiente tenha som e luzes reduzidos.

Já para os cegos, a proposta é possuir entradas com maquetes em braille. Isso facilitaria a identificação dos lugares e das saídas de emergência.