Supermercados usados pela JBS pagaram propina em dinheiro vivo até dentro de caixa de sabão, diz PF

Brasília – O esquema envolvendo a JBS e políticos investigado na operação deflagrada nesta sexta-feira (9) utilizava duas redes de supermercado de Minas Gerais para fazer o repasse de recursos ilícitos, segundo a PF (Polícia Federal) e a Receita Federal. O pagamento chegava a ser feito em dinheiro vivo, usando malas e até caixas de sabão, de acordo com as apurações. A PF e a Receita realizaram a operação “Capitu”, que busca desarticular uma organização criminosa que atuava na Câmara dos Deputados e no Ministério da Agricultura. A ação é um desdobramento da Lava Jato. Os crimes teriam acontecido entre 2014 e 2015 e envolveram ao menos dois exministros do governo Dilma Rousseff (PT) e políticos do MDB. O empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, foi preso nesta sexta-feira.

Fonte: Uol.com