Pará –  O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), lamenta, com profundo pesar, o falecimento de um dos maiores nomes das artes cênicas paraenses, Maria Sylvia Nunes, ocorrido na madrugada desta quinta-feira (5), em Belém, e decretou três dias de luto oficial no Pará.

Além de docente de Teatro na Universidade Federal do Pará (UFPA), onde foi fundadora e diretora do Serviço de Teatro da instituição, atual Escola de Teatro e Dança. Em 2002, ela batizou com seu nome o teatro localizado no complexo turístico Estação das Docas, o Teatro Maria Sylvia Nunes, em reconhecimento ao seu talento para a dramaturgia paraense e pela fundação do Grupo Norte Teatro Escola do Pará, ao lado do filósofo paraense Benedito Nunes (falecido em 2011) com quem foi casada por mais de 60 anos.

A artista ainda colaborou ativamente com sucessivas edições do Festival de Ópera do Theatro da Paz e foi por diversas vezes premiada em festivais de teatro universitário, recebendo homenagens de instituições acadêmicas e governamentais. Sua vida e obra deixam um legado imortal à cultura do Estado e do país. O Governo registra ainda sua solidariedade aos familiares e amigos.

Natural de Belém do Pará, Maria Sylvia atuou como docente da UFPA por 30 anos, onde exercia a função de Presidente do Conselho da Editora da universidade. Em 2019 foi condecorada como Professora Emérita da instituição, título concedido a docentes com importantes contribuições para a universidade, a sociedade e para o desenvolvimento da pesquisa, ensino e extensão, bem como para aqueles que possuem relevante produção intelectual, científica ou artística.