Nova fase da Lava-Jato tem marqueteiro João Santana como alvo - Portal CM7
 
Adsense Responsivo
Manaus, 18 de June 25 ºC Tempestades
Mercado financeiro
Dólar R$ 3.753 0.62%
Euro R$ 4.3584 0.63%
 
 
Home / Últimas Notícias / Brasil / Nova fase da Lava-Jato tem marqueteiro João Santana como alvo

Nova fase da Lava-Jato tem marqueteiro João Santana como alvo

Postado por | 01/03/2016 11:19

RIO — A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta segunda-feira, a 23ª fase da Operação Lava-Jato, batizada de “Acarajé” em alusão ao termo utilizado por investigados para denominar dinheiro em espécie. Cerca de 300 agentes cumprem 51 mandados, sendo 38 de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva, 6 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva. As ações acontecem em três estados. No Rio, os agentes estão na capital, em Angra, Petrópolis e Mangaratiba. Também há cumprimento de mandados na capital paulista, em Campinas e Poá, em São Paulo. Na Bahia, os policiais federais atuam em Salvador e Camaçari.

O publicitário João Santana é um dos alvos desta etapa. Ele foi marqueteiro das campanhas da presidente Dilma Rousseff e da campanha da reeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006. Há mandado de prisão temporária expedido contra ele e sua mulher e sócia, Monica Santana. O casal está na República Dominicana, onde trabalham na campanha de Danilo Medina à reeleição, e, por isso, não foram presos. À Globonews, Monica disse que voltará ao Brasil assim que receber a notificação da Justiça.

O publicitário passou a ser investigado em um inquérito sigiloso após suspeitas de manter contas no exterior, com origem não declarada. Um dos indícios da existência das contas para a Polícia Federal são anotações apreendidas na casa do engenheiro Zwi Skornicki, que também é alvo de um mandado de prisão preventiva . Segundo a revista “Veja”, as anotações foram atribuídas à Monica Moura, que teria indicado as contas do marido fora do país. Na ocasião, Santana negou a prática de caixa 2 por meio de sua empresa, a Pólis Propaganda & Marketing.

A PF também cumpre mandado de prisão preventiva contra Zwi Skornicki, que é suspeito de operar proninas no esquema da Petrobras. A polícia esteve na casa dele, na Barra da Tijuca, no Rio. Os agentes também estiveram nas sedes da Odebrecht em São Paulo e no Rio. Dois carros da PF foram à Avenida Pasteur, em Botafogo, no Rio, onde fica a Odebrecht Óleo e Gás. Eles chegaram ao local por volta de 7h30m e permanecem dentro da sede da empresa.

CAMPANHAS NA MIRA

De acordo com a Polícia Federal, as investigações da nova etapa da Lava-Jato apontam para pagamentos de mais de US$ 7 milhões feitas por um grupo empresarial e destinados a contas no exeterior. Os investigadores reastrearam os supostos pagamentos feitos pela Odebrecht e Skornicki para contas que perteceriam a João Santana. A suspeita da PF é de que o pagamento veio de serviços eleitorais prestados ao PT.

No sábado, João Santana se colocou à disposição para prestar esclarecimentos à força tarefa da Lava-Jato após o juiz Sérgio Moro negar a seus advogados o acesso às investigações envolvendo o publicitário. Santana comandou as três últimas campanhas do PT à Presidência — da presidente Dilma Rousseff, em 2010 e 2014, e a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2006.

Em ofício encaminhado ao juiz Sérgio Moro, o criminalista Fabio Tofic, que representa o publicitário e sua mulher, afirmou que os dois estão dispostos a prestar esclarecimentos em qualquer investigação que envolva os seus nomes. Tofic afirma que o casal “foge completamente ao perfil de investigados” na Operação Lava-Jato.

A última fase da Lava-Jato foi deflagrafa no dia 22 de janeiro e teve como alvo de investigação a abertura de empresas no exterior e a compra de apartamentos no Condomínio Solaris, no Guarujá. Na ação, chamada de Triplo X.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie nas Últimas Notícias

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA

 
 
Aplicativo da Rádio CM7