Um homem de 34 anos foi preso em flagrante no último domingo após perder o controle do carro que dirigia e atropelar cinco pessoas na comunidade da Tijuquinha, no Itanhangá, Zona Oeste do Rio. Sérgio Tiago Faria foi autuado em flagrante na 16ª DP (Barra da Tijuca) por lesão corporal gravíssima praticada sob o efeito de álcool. Uma das vítimas, Raiane Galdino de França, de 20 anos, perdeu a perna direita no atropelamento.

Imagens de câmeras da região mostram o carro passando em alta velocidade pela Estrada da Barra da Tijuca, acertando uma lata de lixo e um cone de sinalização. Um homem de camisa vermelha que estava ao lado de uma barraca de lanches também é atingido.

Em seguida, o homem atropela Raiane, que estava de casaco verde e short jeans. O corpo da jovem foi lançado a uma distância de cerca de 6 metros do veículo.

O HB20 só parou porque colidiu com outros veículos que estavam parados na via. O carro, segundo informações da polícia, havia sido alugado na empresa Movida. Foi feita perícia no local do acidente e Sérgio Tiago passou por exame de alcoolemia, que deu negativo.

No entanto, a polícia concluiu que ele havia consumido bebida alcoólica porque havia latinhas de cerveja no interior do carro dirigido por ele. Além disso, um amigo de Sérgio, que estava com ele no carro no momento do atropelamento, afirmou em depoimento à polícia que os dois beberam antes do acidente.

Na terça-feira, o juiz Rafael Cavalcanti Cruz, da 41ª Vara Criminal do Rio, converteu em preventiva a prisão em flagrante de Sérgio Tiago. O magistrado afirmou, na decisão, que o restabelecimento da liberdade do acusado “gera ofensa à ordem pública, assim considerado o sentimento de segurança, prometido constitucionalmente, como garantia dos demais direitos dos cidadãos”.

Imagens de câmeras da região mostram o carro passando em alta velocidade pela Estrada da Barra da Tijuca, acertando uma lata de lixo e um cone de sinalização. Um homem de camisa vermelha que estava ao lado de uma barraca de lanches também é atingido.

Veja o vídeo:

O HB20 só parou porque colidiu com outros veículos que estavam parados na via. O carro, segundo informações da polícia, havia sido alugado na empresa Movida. Foi feita perícia no local do acidente e Sérgio Tiago passou por exame de alcoolemia, que deu negativo.

No entanto, a polícia concluiu que ele havia consumido bebida alcoólica porque havia latinhas de cerveja no interior do carro dirigido por ele. Além disso, um amigo de Sérgio, que estava com ele no carro no momento do atropelamento, afirmou em depoimento à polícia que os dois beberam antes do acidente.

Na terça-feira, o juiz Rafael Cavalcanti Cruz, da 41ª Vara Criminal do Rio, converteu em preventiva a prisão em flagrante de Sérgio Tiago. O magistrado afirmou, na decisão, que o restabelecimento da liberdade do acusado “gera ofensa à ordem pública, assim considerado o sentimento de segurança, prometido constitucionalmente, como garantia dos demais direitos dos cidadãos”.

Além disso, o juiz argumento que o acusado, que é de São Paulo, não demonstrou no processo seu vínculo com o local da infração. O jornal Extra não conseguiu contato com a defesa de Sérgio Tiago. Na 16ª DP, o acusado optou por não prestar depoimento.

Com informações do Último Segundo