O cronista esportivo Armando Gomes Vieira Filho, conhecido carinhosamente como Manduca, faleceu na manhã deste domingo (26) aos 77 anos. Ele lutava contra um câncer. Seu último trabalho foi como apresentador do programa Esporte por Esporte, da TV Santa Cecília.

Nascido em Santos, no litoral de São Paulo, em 17 de março de 1943, era de uma família de radialistas. Por isso, não demorou muito para estrear no microfone. Já frequentava os estúdios da Rádio Clube e acabou fazendo parte do programa ‘Resenha Esportiva’, em que apresentava as principais notícias do Santos Futebol Clube.

Armando passou por diversas rádios da região, sempre trabalhando com foco no time da Vila Belmiro. Em 1978, foi convidado a participar do ‘Futebol é com 11’, da Rádio Gazeta de São Paulo, programa precursor do ‘Mesa Redonda Futebol Debate’. Quem o levou para a capital foi o jornalista Peirão de Castro, que assim como Armando, era um grande defensor do Santos Futebol Clube.

O cronista esportivo tinha orgulho de contar que, na TV Gazeta, trabalhou com grandes nomes do jornalismo brasileiro, como Milton Peruzzi, José Italiano, Geraldo Bretas, Geraldo Brota e Jota Júnior.

Armando voltou a trabalhar em Santos no ano de 1983, quando foi contratado pela rádio ‘A Tribuna – AM’, onde permaneceu por quatro anos. Em seguida, apresentou o primeiro programa esportivo voltado exclusivamente para a Baixada Santista, na extinta TV Litoral, Em 1993, criou o programa Esporte por Esporte, na TV Santa Cecília, que apresentava até poucos meses.

Armando Gomes lançou muitos jovens na profissão, um dos mais conhecidos é Odinei Ribeiro, do SporTV. “Eu estava aqui me preparando para narrar mais um jogo e recebi a triste notícia do falecimento de um dos mestres da minha vida. O Armando foi um grande mestre para mim. Meu primeiro contato com ele foi no começo da minha carreira, quando me convidou para participar do programa dele na TV Litoral. O encontrei várias vezes pelos estádios do Brasil e, em 1999, passei a trabalhar com ele, que foi uma pessoa muito importante para mim. É muito triste, queria muito ter me despedido dele”.

Em homenagem a toda a sua dedicação pelo Santos Futebol Clube, a sala de imprensa do Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro) leva seu nome. As informações sobre a sua história foram publicadas no portal Terceiro Tempo.

Fonte: G1