Mãe desempregada chora por não ter dinheiro para comprar o ovo de Páscoa que o filho pediu

Por Almeida em 4 de abril de 2021 às 14:35 | Atualizado 4 de abril de 2021 às 14:35

Brasil – Uma moradora de Mongaguá, no litoral de São Paulo, chorou ao ouvir o filho de 6 anos pedir um ovo de Páscoa, após ver um na casa do vizinho. Segundo Nancy Patacho, a família vem passando por dificuldades financeiras por conta da pandemia.

A auxiliar de veterinária Nancy Patacho, de 45 anos, contou que o filho Luiz Fernando, ao ir à casa do vizinho para brincar, viu o ovo de Páscoa do amigo e, ao retornar para casa, perguntou quando chegaria o dele.

“Ele veio da casa do amigo e me perguntou ‘mãe, por que o coelhinho da Páscoa foi na casa do vizinho e não veio aqui?’. Na hora, eu desabei de chorar, e falei que iria ver se conseguia falar com o coelho”, conta.

Desempregada, Nancy conta que a família vinha recebendo ajuda de duas professoras com doações, mas elas acabaram morrendo de Covid-19. Além disso, ela perdeu a aposentadoria há três anos por questões burocráticas, mesmo sendo deficiente física, com a mobilidade de braço e perna reduzida.

“A pandemia prejudicou minha renda. Eu fazia transporte de animais, mas, com o coronavírus, acabei perdendo meus clientes. O pai do meu filho está desempregado, há um ano não paga pensão. Minha filha de 22 anos, que mora em São Paulo, tem dois filhos, e não pode me ajudar, porque também está precisando. Estou sem chão”, lamenta.

Nancy conta que o auxílio emergencial que recebia do Governo Federal a ajudava bastante, mas que, agora, a fome bate à sua porta. Ela explica que pede ajuda para as pessoas na internet, porém, escuta que a situação está difícil.

Além disso, a família mantém um abrigo com 16 cães e nove gatos, e afirma que “se vira nos 30” para cuidar deles. “Antes, a gente dava ração para eles, as pessoas doavam. Agora, só comem ração de dia e à noite. A gente acaba dividindo o arroz que tem com eles”, afirma.

De acordo com a mãe, na Páscoa, ela sempre fazia marquinhas no chão imitando patinhas de coelho para o filho, e sempre tinha ovo, mas este ano será diferente.

“Hoje, eu vou falar para ele que o coelhinho deixou os ovos no supermercado, e que depois nós iremos lá buscar”, finaliza.

Com informações do G1.

Deixe seu comentário