Morreu hoje, em São Paulo, o jornalista, radialista e bacharel em Direito formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco, José Paulo de Andrade. Maior voz da Rádio Bandeirantes, ele estava há 57 anos na emissora.

Casado e pai de dois filhos, José Paulo tinha 78 anos e contraiu a Covid-19. Ele estava internado no Hospital Albert Einstein desde o último dia 7, mas não resistiu às complicações causadas pela doença.

Nascido em São Paulo, José Paulo de Andrade começou a carreira profissional em 1960 como radioescuta do plantão esportivo da Rádio América de São Paulo. Em 1963, ingressou na Rádio Bandeirantes para atuar como locutor esportivo, função que exerceu ao longo de 14 anos. Depois disso, passou pelo jornalismo como apresentador e comentarista. Também fez aparições em debates políticos na televisão e foi âncora de telejornais como Titulares da Notícia, Jornal de São Paulo, Rede Cidade, Band Cidade e Entrevista Coletiva. Ainda na Band, interpretou Don Diego/Zorro em As Aventuras do Zorro, em 1969.

O radialista foi sucessor de Vicente Leporace, morto em abril de 1978, no programa O Trabuco, que naquele mesmo ano foi substituído pelo Jornal Gente, permanecendo 35 anos no ar com ele, Salomão Ésper e Joelmir Beting.

Em 1973, José Paulo de Andrade estreou no comando de O Pulo do Gato, considerado o mais importante trabalho de sua carreira e um dos programas de maior audiência do rádio brasileiro. A atração era apresentada ininterruptamente por ele desde então.
Em 2009, o jornalista foi eleito pela revista “Veja SP” como uma das pessoas que são a cara da cidade. Mas ele era mais do que isso: com uma voz firme, amplo conhecimento político-econômico, são-paulino fanático e um dos maiores formadores de opinião do Brasil, José Paulo tinha um coração gigante e um caráter ímpar.