São Paulo – Um jovem, de 29 anos, foi preso suspeito de ter torturado e matado o próprio pai, que não teria reconhecido a sua paternidade. Após ser encontrado, Jorge Severino da Silva, de 66 anos, ficou 25 dias internado, mas não resistiu.

O Portal G1 apurou o caso nesta quarta-feira (8). O crime ocorreu em 28 de outubro de 2019, em um sítio localizado em Registro, no interior de São Paulo. Jorge residia em São Paulo, mas decidiu ir até o sítio para passar alguns dias. Com a demora em retornar para casa, a esposa da vítima decidiu procurá-lo.

O idoso foi encontrado desacordado e com sinais de tortura, além de queimaduras de 3º grau por todo o corpo. Jorge foi encaminhado para o Hospital Regional de Registro e colocado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde recebeu cuidados médicos até o dia 22 de novembro, quando veio a óbito.

A Polícia Civil passou a investigar o caso e procurou possíveis suspeitos que estiveram no sítio no dia do crime, além de prováveis desafetos da vítima. Com isso, os investigadores descobriram uma relação conflituosa entre o idoso e seu filho, que não foi reconhecido ou registrado. Além disso, os policiais descobriram que o jovem havia estado próximo ao local do crime.

Após reunir todas as provas, as autoridades decretaram prisão temporária do suspeito e um mandado de busca e apreensão foi efetivado em três imóveis, localizados em São Paulo. O jovem foi detido em um dos imóveis e permaneceu em silêncio após a prisão.

 

Fonte: JBR