Manaus – O governador Wilson Lima não perdeu tempo e logo baixou decretos para não alastrar a contaminação coletiva ou qualquer tipo de transmissão do vírus na capital do Amazonas. Agilizou o atendimento prioritário para os infectados do Corona Vírus no hospital Delphina Aziz, procurou ajuda para combater o avanço do vírus em Manaus e junto com a Assembléia Legislativa e todos os deputados entraram em uma batalha para conter o avanço do vírus. Conseguiu liberação de emendas para reposição dos equipamentos médicos EPIs e uma possível falta no futuro. Uniu forças com o prefeito da cidade, reuniu com senadores e conseguiu com muita sabedoria e celeridade minimizar o avanço do vírus em aéreas de riscos. 

Decretos:DECRETO N. 42.100, DE 23 DE MARÇO DE 2020.pdf DECRETO N. 42.101, DE 23 DE MARÇO DE 2020.pdf (2) DECRETO N. 42.101, DE 23 DE MARÇO DE 2020.pdf (1)

Nesta semana

O presidente Bolsonaro anunciou a transferência de R$ 8 bilhões somente para a área da saúde, em um período de quatro meses, recursos esses que serão utilizados no combate ao Covid-19.

Em uma vídeoconferência com o presidente Bolsonaro, Wilson Lima fez as seguintes solicitações:

Aeroporto – Wilson Lima também pediu ao presidente Bolsonaro que interviesse e liberasse as equipes de saúde do Governo do Amazonas no trabalho de abordagem dos passageiros que chegam ao estado pelo Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em vista do número reduzido de funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no local.

“Eu pedi para que o presidente tivesse a sensibilidade de deixar que as nossas equipes pudessem colaborar junto com o pessoal da Anvisa, uma vez que nós temos apenas sete funcionários da Anvisa aqui pra fazer essa triagem no aeroporto de todo mundo que chega, sobretudo daquelas áreas onde há a maior incidência, voos internacionais, aqueles vindos de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, onde há a transmissão comunitária, para que a gente possa fazer esse monitoramento e rastreamento dessas pessoas também”, explicou Wilson Lima.

Os números do Amazonas comparados ao tempo do surto em Nova York, são menores. Atitudes rápidas do Governador Wilson Lima que fizeram o contágio não evoluir em massa, o que poderia levar à inúmeras mortes. No Amazonas não há registros de mortes pelo vírus, até o momento. 

Em Nova York, o problema só vem se agravando e agora é uma questão de sobrevivência já que tem muitos infectados e o número de mortos vem aumentado.

O Governador não fechou o comércio, não tomou as medidas de urgência e o caos tomou conta da saúde. Veja o que disse o governador de Nova York dia 22/03:

“Estamos a dez dias de termos uma escassez generalizada”, disse Bill de Blasio neste domingo, 22. “Se não conseguirmos mais respiradores, as pessoas vão morrer.”

O Estado de Nova York, nos EUA, virou o epicentro do surto, abrigando mais da metade dos casos.

O país tem agora 31,057 casos confirmados e com 390 mortes.

No domingo, o governador do Estado, Andrew Cuomo disse que os testes de 15.168 pessoas deram positivo para o vírus, um aumento de mais de 4 mil em relação ao dia anterior.

Acredito que agora aprendemos a lição com a pandemia CORONA VÍRUS, e não deixar para depois o que se pode fazer hoje.